Transporte coletivo mantém tarifa

Tarifa de ônibus ficará em R$ 2,20

Município continua a subsidiar R$ 0,15 da tarifa do transporte coletivo,sem perspectiva de aumento

O presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), André Oliveira de Nadai, anunciou hoje (10), pela manhã, durante coletiva de imprensa, que a tarifa do transporte coletivo de Londrina não sofrerá reajuste e continua em R$ 2,20.

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Londrina (Metrolon) procurou a companhia de trânsito, em dezembro de 2011, com pedido de recomposição tarifária. Segundo o presidente da CMTU, os técnicos da Diretoria de Trânsito e Transporte realizam estudos mensais sobre os custos do transporte coletivo e o número diário de usuários. Depois de avaliarem o pedido das empresas, concluíram pela não necessidade do aumento tarifário.

O valor da tarifa se mantém estável, desde fevereiro de 2011, sendo que o montante per capita é de R$ 2,35. Deste valor, o município subsidia R$ 0,15, por isso, o preço final pago pelos usuários é de R$ 2,20. Segundo Nadai, ontem (9), durante reunião, os representantes do Metrolon foram comunicados pela CMTU sobre a estabilidade da tarifa.

Atualmente, cerca de 4.200.000 de pessoas utilizam o transporte coletivo por mês. São 127 linhas de ônibus e aproximadamente 400 veículos que realizam o serviço em toda a cidade.

Durante a coletiva, o presidente da CMTU enumerou as melhorias que estão sendo feitas no trânsito, desde o ano passado, como as faixas exclusivas para ônibus nas Avenidas Rio Branco e Winston Churchill, nova linha de ônibus que atende o Conjunto Residencial Vista Bela e a compra de 68 ônibus novos. “Isto melhora a qualidade e a eficiência do serviço e permite a manutenção dos veículos, sem prejudicar o atendimento”, disse André Oliveira de Nadai.

Outras mudanças estão previstas para  2012, como, por exemplo, o Terminal da zona oeste, que tem prazo para finalização das obras em setembro e que, de acordo com o presidente da CMTU, agilizará o transporte naquela região e será possível retirar oito ônibus de circulação. Uma faixa exclusiva para ônibus está prevista para a avenida Tiradentes e outra para a Leste-Oeste. Com a implantação do passe livre para todos os estudantes, desde o ensino fundamental até a pós-graduação, espera-se aumentar de 5% a 10% do número de usuários. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *