Procura de corpos continua em escombros no Rio

Mais 2 corpos são encontrados, elevando para 17 o número de vítimas fatais do desabamento

As equipes de buscas do Corpo de Bombeiros encontraram mais dois corpos, na madrugada deste sábado, nos escombros dos prédios que desabaram no Centro do Rio de Janeiro na última quarta-feira.

Os resgates ocorreram por volta de 0h30 e 2h15. Os bombeiros ainda não divulgaram o sexo e a identidade das vítimas.

Os Bombeiros retiraram no início da noite de sexta-feira (27) o 15º corpo dos escombros dos edifícios que desabaram no centro do Rio. A vítima estava também no subsolo do edifício Liberdade, que tinha 20 andares. O local está sendo vasculhado pelos bombeiros em busca de mais vítimas.

Por volta das 20h começou a chover forte no centro da cidade, mas os trabalhos de buscas continuam, com o uso de cinco retroescavadeiras. Segundo o secretário estadual de Defesa Civil e comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sergio Simões, a previsão é o término dos trabalhos neste domingo.

Uma grande parede do edifício Liberdade ficou em pé e só será demolida posteriormente, para que os trabalhos dos bombeiros não cessem, apesar do perigo de desmoronamento.

13 mortos

Mais um corpo foi retirado pelos bombeiros dos escombros dos três prédios que desabaram na Avenida Treze de Maio, no centro do Rio, aumentando para 13 o número de mortos. Ele foi descoberto por funcionários da Companhia de Limpeza Urbana, quando os entulhos estavam sendo transportados para um depósito.

O secretário de Defesa Civil e comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sergio Simões, disse que, apesar do corpo estar bastante dilacerado, dificultando a identificação, trata-se de uma mulher.

Simões disse que até o momento nenhum bombeiro se feriu nos trabalhos, mas destacou que há perigo de grandes pedaços de concreto de um dos prédios caírem inesperadamente, pois estão presos apenas pelas ferragens.

Ele espera concluir até domingo (29) os trabalhos de resgate e disse que, no que depender dos bombeiros, a área poderá ser liberada. A Avenida Treze de Maio é endereço de dezenas de escritórios e lojas comerciais, que estão fechados desde a noite da tragédia.

12 mortos

O secretário estadual de Defesa Civil e comandante do Corpo de Bombeiros, Sergio Simões, admitiu hoje (27) à tarde que não há mais esperança de que sejam encontrados sobreviventes do desabamento dos três edifícios no centro do Rio. Onze corpos já foram retirados dos escombros: cinco mulheres, quatro homens e dois sem identificação.

“Embora a cultura do Corpo de Bombeiros seja movida pela esperança, pela motivação, em razão do cenário que a gente está verificando e pelo tempo passado do acidente, eu preciso dizer que a gente não trabalha mais com a possibilidade de sobreviventes”, disse Simões.

A expectativa é que mais corpos sejam retirados esta tarde, pois as equipes de resgate conseguiram chegar ao local onde estava reunido um grupo de funcionários de uma empresa que funcionava em um dos edifícios que desabaram.

“Nós chegamos na parte onde já imaginávamos que houvesse o maior número de pessoas. Estamos na caixa das escadas e nossa expectativa é que haja um número maior de corpos nesse espaço. O que nos faz pensar que as pessoas tentaram sair pela escada. Todos estão próximos.” Simões disse que espera concluir até domingo o trabalho de resgate nos escombros dos prédios.

7 mortos

O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro confirmou nesta sexta-feira que localizou mais um corpo nos escombros dos prédios que desabaram na Avenida 13 de Maio, no centro da cidade. Com isso, chega a sete o número de corpos encontrados no local. Além disso, há pelo menos 20 pessoas desaparecidas.

O  Instituto Médico-Legal (IML) informou que já foram identificados Cornélio Ribeiro Lopes, de 73 anos, porteiro do Edifício Liberdade, onde morava com a mulher, Margarida Vieira de Carvalho, que está desaparecida, e Celso Renato Braga Cabral, de 44 anos – cujo enterro ocorrerá hoje (27) em Niterói, região metropolitana do Rio.

As equipes de socorro, comandadas pelo Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros com o apoio da Defesa Civil e da Polícia Militar, intensificarão hoje o trabalho de busca por mais vítimas. Cães farejadores ajudam nos resgates. As dificuldades, segundo os bombeiros, são geradas principalmente pela nuvem de poeira que ainda é intensa na área.

As investigações sobre as causas do acidente ainda não foram concluídas. Mas a suspeita mais provável, segundo os investigadores, é que houve colapso na estrutura do prédio mais alto, devido a falhas em uma reforma feita em um dos andares, onde funcionava uma empresa de informática.

Os desabamentos ocorreram terça-feira (25), por volta das 20h30, e atingiram três prédios antigos da região central do Rio. Um grupo de 80 homens do Corpo de Bombeiros, com o apoio da Polícia Militar e da Defesa Civil, trabalha na área.


Antenor Ribeiro – Destaknews

Com informações da Ag. Brasil e TV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *