PMDB descarta disputar a Presidência

O outrora maior partido de oposição do Brasil esquece seu objetivo inicial de chegar ao poder e se contenta em ser coadjuvante na chapa do PT

Peemedebistas de todo o Brasil aprovaram hoje (10), na Convenção Nacional do partido, a manutenção da aliança com o PT para a eleição presidencial de outubro próximo.
Os convencionais também aprovaram o nome do atual vice-presidente da República, Michel Temer, para novamente compor a chapa com a atual presidenta e pré-candidata à reeleição Dilma Rousseff.

A coligação com o PT e a indicação de Temer para a Vice-Presidência da República obtiveram 398 votos (69,7%) dos convencionais, enquanto os contrários à manutenção da aliança ficaram com 275 votos (30,3%). A aliança do PMDB com o PT nasceu em 2010 para a eleição de Dilma Rousseff e Michel Temer.

A cada discurso contrário à coligação, os grupos favoráveis à aliança vaiavam os oradores. Ao ser proclamado o resultado da disputa, Temer apelou aos correligionários pela unidade da legenda e lembrou que as convenções peemedebistas sempre foram marcadas por disputas, mas que, passado o embate, o partido voltava a se unir em defesa dos interesses do país. A discordância dos opositores à aliança com o PT, passa pelas denúncias de corrupção do atual governo, que estão muito distantes da proposta do partido que lutou pela redemocratização do país. Com Ulisses Guimarães o MDB e depois o PMDB demonstravam claramente que queriam um país recuperado economicamente e restaurado moralmente. Após o ingresso de algumas lideranças que hoje dominam o partido, este sonho ficou distante, no entendimento de muitos.

“Quero dizer a todos que essa convenção não tem vencedores, nem vencidos. Temos que buscar a unidade do PMDB para vencer as eleições e eleger o maior número de deputados, senadores e governadores nas eleições de outubro próximo”, disse o vice-presidente aos convencionais, buscando a pacificação.

Ele destacou que o PMDB terá participação mais efetiva no próximo governo. “Uma participação mais efetiva nas políticas públicas. Uma maior presença do PMDB na área social, assim como teve no passado. São ações relativas à saúde, à educação, à integração nacional, entre outras.”

Proclamado o resultado, a presidenta Dilma Rousseff foi ao Auditório Petrônio Portella, no Senado Federal, onde se realizou a convenção e agradeceu aos peemedebistas pela confiança depositada na parceria com o PT.

Dilma falou também sobre o crescimento do país em seu governo, sobre a importância da aliança com o PMDB, bem como sobre o total apoio recebido dos peemedebistas de todo o Brasil.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com Ag. Brasil

One thought on “PMDB descarta disputar a Presidência

  • 10 de junho de 2014 em 11:02 pm
    Permalink

    Já fui cabo eleitoral do MDB em Londrina, votando sempre nos candidatos do partido. Hoje sinto vergonha dele e lamento que esteja aliado ao PT, que é um partido tomado por corruptos. Não terá meu voto em Outubro e farei o possivel para derrotar essa coligação que está terminando o mandato. Esse Temer nunca fez nada que preste na vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *