Operação Láparos prende 5 em Londrina

PF deflagra Operação Láparos para repressão do crime organizado na fronteira

A Polícia Federal deflagrou na manhã da quinta-feira, 17, operação visando a desarticular organização criminosa em ação na fronteira do Paraná com o Paraguai, a que se imputam os crimes de contrabando e corrupção policial.

Foram cumpridos 150 mandados de busca e apreensão e 108 ordens de prisão preventiva, das quais 43 envolvendo policiais. Dos 108 mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça Federal em Guaíra e Umuarama, houve a prisão de 36 pessoas em Guaíra, 05 em Londrina, 08 em Maringá, 03 em Foz do Iguaçu e 17 em Cascavel, totalizando até o presente momento 69 presos, sendo 29 policiais, dentre militares e civis.

Todas as ordens foram expedidas pela Justiça Federal em Guaíra e em Umuarama, instâncias onde se desenvolveram as investigações policiais ao longo de 14 meses, período em que foram presas em flagrante 202 pessoas e apreendidos mais de 3 milhões de pacotes de cigarros contrabandeados do Paraguai, 6,5 toneladas de agrotóxicos de mesma origem, 109 caminhões, 76 automóveis e 13 embarcações.

As investigações demonstraram, ainda, o envolvimento com a organização criminosa de 13 policiais estaduais civis, de 29 militares do Paraná e de 1 Policial Rodoviário Federal, os quais receberiam vantagens econômicas para informar sobre as ações da PF contra o contrabando, garantindo ainda a livre circulação de veículos usados pela quadrilha para distribuir cigarros e agrotóxicos contrabandeados.

As ações repressivas da PF ocorrem hoje em 38 cidades do Paraná, 4 em São Paulo, 3 no Mato Grosso do Sul,  3 em Minas Gerais, 1 em Rondônia e 1 no Mato Grosso, o que evidencia a ampla rede da organização criminosa desarticulada que multiplicava rapidamente sua capacidade de ação delitiva.

O Ministério Público do Paraná em Cascavel, a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná e a Corregedoria Regional da PRF colaboraram com as investigações.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *