Omeprazol e derivados têm mesma finalidade

No site da ANVISA há um esclarecimento sobre alguns medicamentos com nome parecido e indicados para a mesma causa.

A doença de refluxo gastroesofágico é crônica e altamente prevalente.
É caracterizada por pirose (azia ou queimação no estômago) e regurgitação ácida. Na maior parte das vezes tem uma evolução benigna; contudo, sem tratamento, o refluxo pode levar ao desenvolvimento de Esôfago de Barrett, e, mais raramente, ao adenocarcinoma de esôfago. Os tratamentos clínicos são divididos em mudanças de hábitos
e tratamentos farmacológicos. Entre as classes farmacológicas indicadas para o tratamento da doença do refluxo gastroesofágico, estão os
medicamentos das classes dos antiácidos, procinéticos, inibidores de receptores de histamina H2 e inibidores da bomba de prótons, sendo estes últimos mais eficazes e mais
utilizados. Os medicamentos omeprazol, esomeprazol, pantoprazol, lansoprazol e rabeprazol são representantes dessa última classe. Não há diferenças significativas entre a eficácia dos inibidores da bomba de prótons no tratamento de refluxo, entretanto, existem grandes diferenças em termos de custos.omeprazoleoutros

Preocupação

Em matéria ainda de 2011, do jornal O Estado de São Paulo, médicos salientam que o consumo indiscriminado no Brasil do medicamento omeprazol, indicado contra úlceras e gastrite e distribuído gratuitamente em algumas cidades, causa preocupação. “Quando a pessoa sabe que vai beber muito e exagerar na comida já toma um omeprazol para prevenir”, salientou o presidente da Federação das Sociedades de Cancerologia, Roberto Gomes. Ele cita dois estudos que relacionam o uso prolongado do remédio a sérios problemas de saúde, entre eles o tipo mais comum de câncer de estômago, o adenocarcinoma.

O tema foi abordado durante um simpósio promovido pelo Instituto Oncoguia, associação sem fins lucrativos voltado a pacientes com câncer. Gomes critica a banalização do remédio, que tem sido usado erroneamente como substituto de antiácidos comuns e pastilhas, segundo os médicos ouvidos pela reportagem. “Ele não é tão fraco quanto os antiácidos, por exemplo. Isso é preocupante porque não é essa sua função”, diz. Ele destaca os resultados de um estudo feito pelo Departamento de Patologia da Universidade de Ciência Médica de Shiga, no Japão, que encontrou 60% mais casos de adenocarcinomas de estômago em roedores que ingeriram omeprazol por um longo período. Portanto, mantenha seu médico informado sobre o uso prolongado deste medicamento.

Na prática da “empurroterapia” das farmácias, o pantoprazol, por exemplo, tem um custo mais elevado e é indicado como sendo “melhor” por ter efeito mais prolongado. Não é o que diz a Anvisa. E há alerta inclusive sobre o uso excessivo e banalizado do medicamento. Em postos de saúde é possível conseguir o medicamento omeprazol gratuitamente em Londrina. É preciso que o usuário seja cadastrado devidamente no posto mais próximo de sua residência.

One thought on “Omeprazol e derivados têm mesma finalidade

  • 25 de agosto de 2014 em 2:39 pm
    Permalink

    Me desculpe, mas descordo quando diz de “empurroterapia” em farmácias, quando sabemos que muitos médicos prescrevem medicamentos em troca de favores, estão pq não citam esse tipo de coisa, sempre na farmácia está o erro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *