Ofensa racial contra goleiro é apurada

Os insultos de parte dos torcedores do Grêmio ao goleiro titular do Santos, Mário Lúcio Duarte Costa (conhecido como Aranha), durante jogo disputado  na quinta-feira (28), em Porto Alegre (RS), pela Copa do Brasil, viraram caso de polícia. A Polícia Civil do Rio Grande do Sul instaurou inquérito e agora vai identificando todos os torcedores que xingaram o atleta e imitaram sons de macaco próximo ao gol. Ao menos uma gremista, filmada gritando a palavra “macaco”, já foi identificada.  Ela foi flagrada pelas câmeras de transmissão de TV chamando o goleiro Aranha de “macaco”, e já foi afastada do trabalho no Centro Mèdico e Odontológico da Brigada Militar de Porto Alegre. Patrícia Moreira era funcionária de uma empresa terceirizada e prestava serviços de auxiliar de odontologia na clínica da polícia militar gaúcha.

“Há outros [torcedores] que poderão ser identificados com a ajuda de vídeos e de informações que forem fornecidas por outros torcedores que tenham presenciado o fato”, disse à Agência Brasil o diretor da Delegacia de Polícia Regional de Porto Alegre, Cléber Ferreira. Ele pede a colaboração,  das pessoas, por meio do Disque-Denúncia, no caso.

Os torcedores que forem identificados poderão responder pelo crime de injúria qualificada, que, quando praticada com base em elementos relacionados à raça, cor, etnia, religião, origem ou à condição de pessoa idosa ou com deficiência, pode ser punido com pena de um ano a três anos de reclusão e multa. O goleiro santista registrou queixa e prestou depoimento, pela manhã, sobre o caso, antes de viajar para o Rio de Janeiro com a delegação do Santos, para o jogo contra o Botafogo no Domingo.

Episódios de racismo no futebol brasileiro têm sido registrados com frequência. Em março, o zagueiro do Internacional, Paulão, foi ofendido por um torcedor do Grêmio em jogo do campeonato estadual. O Grêmio foi punido com uma multa de R$ 80 mil. No mesmo mês, o volante Arouca, do Santos, foi xingado por torcedores do Mogi Mirim, durante um jogo do campeonato paulista. Em função da atitude de seus torcedores, o time do interior paulista recebeu uma multa de R$ 50 mil.

No dia 5 de março, o árbitro Márcio Chagas da Silva também foi vítima de racismo durante o jogo entre Esportivo de Bento Gonçalves e Veranópolis, pela Série A do campeonato gaúcho. Segundo o juiz, torcedores do Esportivo o xingaram durante a partida e, ao término da disputa, deixaram uma banana sobre seu carro. O Esportivo acabou punido, perdendo nove pontos no campeonato.

Em um país de tamanha miscigenação é ainda mais condenável a atitude de uma minoria que cultiva tal estupidez.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com Ag. Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *