Mãe

Mãe

 

E quando ao nascer chorei, foi sentindo falta deste primeiro lar que habitei: seu ventre.

Quando o choro cessou, foi por que em seus braços você me tomou. Gostaria de guardar comigo as lembranças vivas do primeiro banho que me deu, ou da primeira vez que seu seio suguei.

Contemplar você, hoje, me enternece. Muitas vezes relembro seu vai e vem pela casa, nas tarefas domésticas, fazendo tudo para que nosso lar fosse um exemplo. Mãe e amiga, capaz de se doar sem medir as conseqüências.

Mãezinha, querida, quero agradecer pela mão que me guiou nos primeiros passos. Pela palmada que me educou, pelo castigo que me ensinou as primeiras lições. Mestre da vida, de tantos exemplos e gestos.

Obrigado pelo amor constante e por me tratar sempre como a criança que carregava no colo. Obrigado, mãe, pelas palavras de incentivo e o apoio que sempre me ofereceu sem nada pedir.

Guardo em meu coração e na memória os exemplos que me deu do amor mais puro que já conheci.

Você é linda no retrato que minha mente registra, com um avental na cozinha. Bonita como a rosa que abre suas pétalas, e exala o perfume, ao levar seus filhos à Casa do Senhor!

Oro e peço a Deus para que a eternize, a fim de poder desfrutar sempre de sua sabedoria.  A vida inteira você se dedica à família e por isso é que a considero como uma verdadeira heroína. Em minha oração de filho, agradeço ao Pai por ter vindo a este mundo através de você. E em sua sabedoria, Deus usou a mulher como instrumento para dar ao mundo o Messias.

Mãe… eu a amo com o amor mais puro que me ensinou a cultivar.

 

Antenor Ribeiro

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *