Londrina avança no atendimento à Mulher

Muitas brasileiras sofrem com doenças uterinas, dores crônicas e sangramentos intensos. Pensando em melhorar a qualidade dessas mulheres e evitar que as mesmas precisem passar por um procedimento cirúrgico, a Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, deu início à implantação do Dispositivo Intra-Uterino medicamentoso.

A primeira paciente a receber o DIU hormonal gratuitamente pela rede municipal de saúde de Londrina foi Sirlei Narciso, de 43 anos. Ela, que é mãe de sete filhos, conta que durante anos sofreu com as cólicas uterinas e sangramentos em excesso, o que aumentou com o nascimento de sua última filha, há 3 anos. O tratamento que ela vinha utilizando era através de injeções, aguardando por uma cirurgia.

A partir de hoje, isso não será mais necessário, pois o DIU medicamentoso -inserido como terapêutica complementar ao novo protocolo de tratamento- a ajudará a controlar esses sintomas e a tratar a doença. “Depois que tive minha última filha, tive muito sangramento, tipo hemorragia. Tenho que usar injeção de três em três meses e mesmo assim ainda tenho sangramento. Sabia que eu precisava fazer uma cirurgia, mas vim no médico e ele falou do DIU e, pra mim, vai ser bem melhor do que fazer cirurgia”, disse a primeira paciente a testar a nova terapêutica na rede pública.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, são poucas cidades no Paraná e no Brasil que adotaram, na rede pública municipal, esse método de tratamento para as doenças uterinas, evitando as cirurgias ginecológicas. “No Paraná, Londrina é a primeira cidade que fez todo o protocolo acompanhado de uma linha inteira de cuidados na saúde da mulher. Nosso objetivo é dar mais segurança, mais qualidade de vida às mulheres que têm sangramentos intensos, evitando que seja necessária a cirurgia ginecológica, que é um método muito mais invasivo e que traz riscos. Por isso, implantamos esse protocolo inovador”, explicou Machado.

N.Com

Antenor Ribeiro – Destak News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *