Fundo Garantidor tem aporte de R$ 5 mi

Como forma de prestar apoio financeiro aos micro e pequenos empresários de Londrina, estimular a economia local, manter empregos e amortecer os impactos gerados pela pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Londrina e a Câmara de Vereadores uniram forças para viabilizar o Fundo Garantidor de Crédito. Esta medida garantiu aporte inédito de R$ 5 milhões junto à Sociedade de Garantia de Crédito do Norte do Paraná (Garantinorte-PR), em convênio que está possibilitando saldo de até R$ 50 milhões em empréstimos facilitados para pequenas empresas, realizados pelas instituições financeiras credenciadas. Os empréstimos estão sendo autorizados, desde junho deste ano, quando houve a formalização do convênio.

Em pouco mais de um mês, quando começaram efetivamente os repasses com garantia do Fundo, houve aprovação de crédito financeiro na ordem de R$ 2,7 milhões, aproximadamente, para 53 empresas locais. Deste total, cerca de R$ 1,6 milhão já estão na conta de 34 empresas, sendo que o restante apenas aguarda o crédito ser computado em conta corrente. Existem outras 50 empresas com cartas de garantia já aprovadas, e que darão entrada no empréstimo com as instituições financeiras.

Em uma projeção inicial, os financiamentos articulados pelo Fundo permitirão empréstimos a até 840 empresas de Londrina, apenas neste primeiro momento Os dados são da Garantinorte, que faz a gestão técnica do Fundo, e do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL), responsável pelo acompanhamento das atividades e indicadores.

A ampliação das condições de acesso aos empresários incluem diferentes opções de parcelamento e oferta de taxas de juros mais baixas em relação ao que hoje pratica o mercado, além das garantias e assessoramento adequado. As operações de crédito (ver mais detalhes abaixo) podem variar de R$ 15 mil a R$ 170 mil, com prazos que vão até 36 meses, conforme a linha escolhida, abrangendo micro, pequena e média empresa, ou Microempreendedor Individual (MEI), regularmente instalados em Londrina e inseridos na legislação pertinente. Neste modelo, as taxas cobradas ficam fixadas na faixa de 0,50% até 0,70%, sendo que as taxas médias hoje praticadas no mercado giram em torno de 1,45% ao mês, podendo chegar até 2% em alguns casos. Outra vantagem é que as empresas com menor tempo de funcionamento, com contas recentes, podem obter o crédito facilitado.

O presidente da CODEL, Bruno Ubiratan, frisou que a criação do Fundo Garantidor ajuda a estimular e desafogar uma parcela da economia da cidade, em um período delicado de crise financeira, assegurando que pequenos empresários possam manter seus negócios funcionando durante a pandemia. “São muitas pessoas com pequenas e médias empresas, vendedores e autônomos passando por grandes dificuldades e precisando de algum suporte para continuar trabalhando e pagando suas contas. Temos um cenário de empresários fechando as portas e sem dinheiro para pagar funcionários, pessoas perdendo seus empregos e meios de sustento. Com empréstimos mais fáceis e juros baixos, muitos deles poderão seguir operando”, afirmou.

Para Ubiratan, é dever do poder público criar alternativas para fomentar a economia local e evitar o agravamento de situações graves como as causadas pela crise atual. “A Prefeitura, Câmara Municipal e Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL) se mobilizaram para que este aporte financeiro importante saísse do papel e agora este benefício poderá contemplar uma parcela importante do nosso empresariado, que está sendo muito afetado e precisa de condições para prosseguir em atividade”, acrescentou.

Por meio deste convênio, o Fundo Garantidor de Crédito se compromete a pagar até 75% da dívida existente junto às instituições financeiras parceiras, quando encerradas todas as formas de cobrança ao devedor. A análise de crédito é procedida de maneira criteriosa pela Garantinorte, que, após a análise de documentação e aprovação, concede uma Carta de Garantia de pagamento. Sua função, então, não é realizar empréstimos, mas complementar as garantias exigidas por suas associadas. Posteriormente, a documentação é enviada para a instituição financeira dar sequência no processo de abertura da conta, análise e liberação do recurso. As vantagens são facilidades nos empréstimos, com linhas de juros baixas, bem como a redução de riscos e danos às instituições.

NCom.

Antenor Ribeiro  – Destak News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *