Dráuzio Varella esconde crime de entrevistada

E ficou pela metade a matéria exibida pelo Fantástico, no dia 1º de Março, com o Dr. Dráuzio Varella mais uma vez mostrando o seu lado filantropo, visitando presídios e tentando minimizar a situação de presidiários. Muitos conhecem a realidade de nossas cadeias, sistema penitenciário que apesar de todo avanço e modernização ainda não é modelo e nem oferece hospedagem cinco estrelas. Alguns chegam a defender que prisão é castigo, é pena imposta a quem cometeu crime e não colônia de férias às custas do contribuintes.

Na última reportagem que apresentou, Dr. Dráuzio se fixou em Suzy Oliveira, trans que estava no presidio, isolada de amigos e familiares, sem contato com estas pessoas por longos oito anos. Esse é o nome social de Rafael Tadeu de Oliveira dos Santos, que estuprou, matou e escondeu o corpo de Fábio dos Santos Lemos, nove anos de idade, em maio de 2010.

Trata-se, portanto, de um elemento do sexo masculino, que resolveu assumir seu lado feminino e adotar o nome de Suzy. E num determinado dia, como monstro, ou libertando a fera que pode existir dentro do ser humano, ele resolveu fazer vítima um garotinho de nove anos, que atraiu, levou para seu apartamento, estuprou, matou por asfixia e deixou o corpo apodrecendo por 48 horas antes de entregar para a família. Por este crime, em 2012, Suzy foi condenada pelo Tribunal do Júri a 36 anos e oito meses de reclusão em regime fechado. Estupro de vulnerável, homicídio e ocultação de cadáver foram as acusações feitas. Após esta revelação o Dr. Dráuzio passou a receber uma serie de críticas nas redes sociais, já que não revelara o crime cometido pela pessoa que apresentou como uma vítima, que vivia na solidão, sem visitas, sem contatos familiares. A cena do abraço que o médico deu à trans repercutiu de tal maneira que começaram a formar grupos de apoio, para minorar sua situação de carência afetiva. Até mesmo um endereço foi disponibilizado para que pessoas pudessem mandar cartas para Suzy.

O médico, preocupado com sua imagem, divulgou uma nota oficial em que diz: “Há mais de 30 anos frequento presídios, onde tato da saúde de detentos e detentas. Em todos os lugares em que pratico a Medicina, seja no meu consultório ou nas penitenciárias, não pergunto sobre o que meus pacientes possam ter feito de errado. Sigo essa conduta para que meu julgamento pessoal não me impeça de cumprir o juramento que fiz ao me tornar medico. No meu trabalho na televisão, sigo os mesmos princípios. No caso da reportagem veiculada pelo Fantástico na semana passada, não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistas. Sou médico, não juiz”, declarou.

Antenor Ribeiro – Destak News

Com informação do Zero Hora/RBS e IstoE

 

Um comentário em “Dráuzio Varella esconde crime de entrevistada

  • 9 de março de 2020 em 3:42 pm
    Permalink

    Tem que tirar do ar um cara destes. E a Globo não revisa suas matérias? Jornalismo de um lado só é criminoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *