Chuvas matam e causam estragos

Chuvas deixaram rastro de destruição em Londrina

As últimas 72 horas de chuva em Londrina ficarão na história. Transbordamento do lago Igapó e vários outros cursos d’água no município, desmoronamento de barrancos e muros, casas invadidas pela água e lama, escola destruída no Jardim do Sol, com perda de materiais e documentos e até mesmo uma morte são o saldo negativo nesta segunda-feira.

A cidade não vivia um quadro tão devastador há muitas décadas. Na rua Plutão,no Jardim do Sol, diretores, professores e funcionários ficaram desolados com o quadro de devastação. Água e lama entraram nas dependências, destruindo carteiras, cadeiras, mesas, danificando pelo menos 15 CPUs de computadores recebidos em doação há pouco tempo. Apenas os monitores, que estavam sobre mesas, escaparam da destruição.

Foi localizado no domingo (16), por volta das 13:00hs, o corpo do rapaz que estava desaparecido desde a noite de quinta-feira, quando ele foi levado pela enxurrada que desaguou no Ribeirão Quati, próximo à Rodovia Carlos João Strass, na Vila Yara.  Luis Henrique Caetano, de 26 anos foi a vítima fatal.

Casas foram alagadas em vários bairros e pessoas perderam móveis e outros objetos. Houve desmoronamento em alguns locais e queda de árvores em vários bairros. Ruas ficaram alagadas e carros chegaram a ficar submersos.

Uma caminhonete F250 que caiu, no sábado (15), em um ribeirão na avenida das Maritacas, zona norte, foi localizada na manhã de domingo por moradores da região. O condutor não foi localizado e, de acordo com o Corpo de Bombeiros, ninguém registrou o desaparecimento do motorista ou do veículo. A Polícia Civil acredita que o condutor tenha fugido, já que a caminhonete possui placas clonadas.

Pelo que foi apurado até o momento,em Londrina, a chuva deixou um morto, 61 desabrigados, 14 casas danificadas e 42 alagamentos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *