Terror fez 72 vítimas em Shopping queniano

A milícia radical somali Al-Shabab disse nesta terça-feira, 24, que militantes continuam entrincheirados no shopping center queniano atacado no fim de semana, em meio a “diversos corpos”.  O número de mortos no conflito já se elevou a 72, sendo 61 civis, 6 integrantes das forças de segurança quenianas e 5 suspeitos. Outros 11 suspeitos foram detidos.

As forças quenianas continuam vasculhando o shopping Westgate em busca de possíveis militantes. Fontes ocidentais acreditam que o grupo inclua cidadãos americanos e possivelmente uma britânica, viúva de um homem-bomba que participou do atentado em 2005 em Londres. O Al-Shabab negou que haja o envolvimento de estrangeiros.

“Ainda há pistoleiros no prédio”, disse um oficial de inteligência, pedindo anonimato e falando perto do shopping, que está cercado por soldados. Sobre a presença de reféns, ele disse: “Ainda não temos certeza”. Tiros esporádicos e uma explosão marcaram o quarto dia de impasse no shopping, invadido na hora do almoço do sábado 21, num período de grande movimento.

Helicópteros continuam sobrevoando o shopping, que é muito frequentado por estrangeiros. O Al-Shabab diz ter cometido o ataque para forçar o governo queniano a retirar suas forças militares da Somália, onde participam do combate ao grupo islâmico. O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, prometeu não fazer concessões.

Da Telam

Brasília – Extremistas islâmicos da Somália que tomaram, desde o último sábado (21), o centro comercial Westgate Mall, em Nairóbi, capital do Quênia, continuam no local. Na manhã de hoje (23), as Forças de Defesa do Quênia (KDF, sigla em inglês) informaram que o episódio poderia ser encerrado em breve, o que ainda não ocorreu. O número de mortos já chega a 69, segundo informações da Cruz Vermelha do país.

No local, pode ser vista uma espessa nuvem de fumaça e disparos de armas de fogo foram ouvidos. Em meio a este cenário, o ministro do Interior queniano, Ole Lenku, disse que o resgate está “chegando ao fim e que dois militantes do Al Shabaab morreram hoje cedo em confrontos com as forças de segurança, que mantêm cercado o complexo comercial”.

Lenku informou ainda que algumas pessoas foram presas no aeroporto local para serem interrogadas sobre o ataque e apelou aos quenianos que permaneçam fora da área do shopping por questões de segurança. O ministro disse que a maioria dos reféns foi libertada, mas que o número exato de pessoas envolvidas no caso ainda não pode ser confirmado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *