Alerta a jovens marca o Dia Mundial de Luta contra a Aids

Uma caminhada no centro de Curitiba e eventos em vários outros municípios vão marcar, nesta quinta-feira (1?), a programação do Dia Mundial de Luta contra a aids. A Secretaria de Estado de Saúde quer aproveitar a data para reforçar o alerta sobre a necessidade de prevenção, especialmente entre os jovens. Dados do Ministério da Saúde mostram aumento do número de casos novos da doença em jovens entre 15 e 19 anos.

Entre 2007 e 2011 foram notificados no Paraná 39 casos de aids em meninos e 61 em meninas. Segundo o Ministério da Saúde, 11% dos casos notificados no Brasil são de jovens entre 13 e 14 anos, sendo que 68% da transmissão dessa faixa etária é por via sexual.

“A estratégia da campanha estadual é falar com esse público, chamando a atenção dos jovens para a necessidade do uso da camisinha nas relações sexuais”, diz Sezifredo Paz, superintendente de Vigilância em Saúde. O mote da campanha é “Aids, aprenda a se cuidar – sexo, sempre com camisinha”.

O Paraná acumula desde 1984 (início da epidemia) 27.212 casos de aids, sendo que 26.300 foram notificados na idade adulta e 912 na infância. Em média são notificados 1,2 mil casos da doença por ano. Dos adultos, 16.728 (65%) são homens e 9.572 (35 %) mulheres.

“Por quatro anos consecutivos houve um aumento do número de casos de aids em meninas jovens. Em 2010 percebemos um aumento do número de casos de aids em garotos a partir dos 13 anos”, alerta o técnico Francisco Carlos dos Santos, do programa estadual de controle de DSTs/Aids.

Estudos recentes mostram uma redução no uso da camisinha entre os jovens, apesar de a grande maioria da população ter conhecimento de que o uso do preservativo é a melhor forma de se proteger contra as doenças sexualmente transmissíveis. “Nas décadas de 80 e 90 as pessoas viram seus ídolos enfrentando a luta contra a aids e o uso da camisinha foi disseminado como forma de prevenção. Infelizmente hoje temos visto jovens iniciando sua vida sexual sem a devida proteção, como se não soubessem do perigo dessa atitude”, diz Francisco.

TRATAMENTO – Atualmente as pessoas que estão vivendo com o HIV/Aids têm melhor qualidade de vida porque o tratamento com antiretrovirais está disponível pelo SUS. “Nosso grande desafio é melhorar o diagnóstico precoce e conscientizar as pessoas de que a doença não tem cura e o tratamento tem muitos efeitos colaterais. Portanto a melhor estratégia contra a doença é a prevenção”, diz Sezifredo Paz.

O Paraná conta com 30 Centros de Testagem e Aconselhamento para o HIV (CTA), três hospitais públicos de referência para HIV/Aids, dois hospitais-dia (Curitiba e Londrina) e um Atendimento Domiciliar Terapêutico (Londrina).

NÚMEROS – O município de Paranaguá concentra 33.91% dos casos de aids no Estado, seguido por Foz do Iguaçu (19.03 %) e Ponta Grossa (15.81%). A categoria de exposição que predomina é a de heterossexuais, com 82.54% dos casos.

PROGRAMAÇÃO – Nesta quinta-feira (1º) a Secretaria da Saúde realiza, em parceria com a prefeitura de Curitiba, uma caminhada para marcar o dia de luta contra a aids. A concentração será às 9 horas, na Praça Santos Andrade, com trajeto até a Boca Maldita, no centro de Curitiba. Serão distribuídos materiais educativos sobre a doença.

Em Paranaguá, das 8 às 16 horas a secretaria municipal de Saúde oferece testagem rápida do HIV no Centro Municipal de Especialidades e na Unidade de Saúde do Jardim Araçá.

A programação completa das atividades do Dia Mundial de Luta contra a Aids no Estado está disponível na página da Secretaria da Saúde na internet – www.saude.pr.gov.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *