Vice-prefeito vê culpa da imprensa na dengue

São preocupantes os números levantados sobre a infestação do mosquito Aedes Aegypti em Londrina. Autoridades do setor alertaram para o risco de epidemia e a constatação de que os números atuais superam em seis vezes os de 2013 gera inquietação. Veículos de comunicação na cidade fazem e sempre fizeram inserção de anúncios pedindo cuidados da população, cada um tendo consciência da importância de sua atuação em relação à sua moradia e/ou propriedade.

Aparentemente o prefeito em exercício da cidade, sr. Guto Bellusci, desconhece esta realidade. Ele participou na quinta-feira, pela manhã, da apresentação do LIRA (Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti). Esses números mostraram que a infestação aumentou seis vezes em comparação com 2013. O levantamento indica que o índice de infestação é de 7,4%. Atrasado para o evento, Bellusci ainda criticou o trabalho da mídia. De acordo com a visão do vice-prefeito da cidade, os veículos de comunicação não ajudam na divulgação dos cuidados necessários para o combate à dengue.

No levantamento foram inspecionados quase 10 mil imóveis, dos quais 85,5% são residências e estabelecimentos, enquanto terrenos baldios representam 14,5% do total. De todos os casos suspeitos de dengue este ano, o único confirmado é de fora.

Epidemia

Diante do alto risco de epidemia, a Secretaria da Saúde está realizando ações em diferentes frentes. Além das rotineiras – como realização de exames, mutirões educativos, visitas domiciliares e reuniões periódicas para avaliação de resultados e determinação das novas atividades – foi definido um plano emergencial de impacto.

A aplicação do fumacê está sendo intensificada e a Secretaria apela aos moradores para que abram portas e janelas de suas casas para a melhor eficácia do produto. Também já estão sendo feitos mutirões de limpeza integrados com as secretaria do Ambiente, de Obras, de Agricultura e a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), bem como a divulgação de filme e cartazes educativos.

Outra forma de aumentar o controle ao mosquito é buscar o comprometimento da sociedade. Isso será feito através de medidas mais rigorosas como a aplicação de multas em caso de irregularidades que variam de R$ 196 a R$ 19.619. 

A Secretaria de Saúde destaca que é fundamental que a população faça a sua parte seguindo as orientações previstas no combate ao mosquito da dengue, principalmente no verão, quando o calor forte e as chuvas rápidas aumentam o risco de criadouro.

O comentário do vice-prefeito causou mal estar entre os presentes na coletiva, pois repórteres de rádio, jornalistas e outros presentes sabem que o Poder Público é que não tem realizado um trabalho a contento e em virtude disso há proliferação do Aedes Aegypti em locais onde falta a ação governamental. O matagal existente em fundos de vale, ruas, avenidas, calçadas e terrenos públicos não cuidados, certamente contribuiu para que o número atual chegasse ao patamar alarmante que foi mostrado. E certamente não é com este tipo de comentário grosseiro que sua excelência conseguirá mais apoio para as ações a serem implementadas.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com informações de Carlos Oliveira – Londrina na Latinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *