Vereador afastado continuará com tornozeleira

Vereador afastado continuará usando tornozeleira

A defesa do vereador Mário Takahashi tentou junto ao Superior Tribunal de Justiça, que fosse suspensa a aplicação de medida cautelar de monitoramento eletrônico, ou seja, o uso de tornozeleira pelo cliente. Takahashi é investigado por suposto recebimento de vantagens indevidas para aprovação de projetos de lei na Câmara de Vereadores de Londrina. O Ministro João Otávio de Noronha, relator do pedido, negou o pleito. Para o presidente do STJ, não houve comprovação de constrangimento ilegal ou de abuso de poder que justificasse o deferimento da liminar.

A acusação é de que o vereador e outros pares teriam recebido propina de particulares com o objetivo de viabilizar a aprovação de alterações em zoneamentos e loteamentos na cidade, desvirtuando as diretrizes do planejamento urbano de Londrina. A princípio o monitoramento seria por 90 dias. Porém, o TJPR prorrogou o monitoramento por entender que a medida era necessária para a garantia da ordem pública e para evitar que os investigadores ameaçassem testemu9nhas ou destruíssem provas. Outro vereador envolvido na Operação ZR3, Professor Rony Alves, foi preso recentemente sob acusação de ameaça à testemunha. Ele também foi obrigado ao uso de tornozeleira no mesmo episódio.

Antenor Ribeiro – Destak News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *