Torcedor não é só na vitória

Vi o início do jogo Londrina x Bahia e confesso que esperava melhor sorte do Tubarão. Parecia ter sido preparado para  incomodar o dono da casa, sem aquela tática de apenas ficar esperando, mas sim preocupando também o Bahia no sistema defensivo. Que existe uma diferença técnica entre o time baiano e o atual LONDRINA E.C., não resta a menor dúvida. E havia um componente extra: Roberto Fonseca estava reassumindo o time. Um treinador competente, que já demonstrou seu conhecimento no Campeonato Brasileiro da Série B do ano assado. Fez uma bela campanha. Depois foi para o Novo Horizontino para disputar o Paulista e prometeu voltar. Até aí estava tudo correndo de acordo com o script.

Porém, como futebol tem destas coisas, numa falha defensiva o Tubarão  levou um primeiro gol. A tal maldição do EX. Arthur Caíque fez o dele. Sempre foi um jogador de área, que chamou a tenção do Flamengo, quando defendeu o Londrina e depois andou por aí, até chegar ao Bahia. Em  lance infeliz, ainda no primeiro tempo, Paulinho Mocelin sofria perseguição de um defensor baiano e na jogada foi tocado faltosamente pelo adversário, sem que o árbitro assinalasse qualquer coisa. Paulinho, então, perdeu a cabeça e fez falta para cartão, ainda agredindo o jogador,, culminando por ser expulso. Péssimo para o Londrina, que passou a atuar com 10. Fora de casa, perdendo, jogando com um a menos, o Tubarão teria que fazer o que tentou: recuou, chamou o adversário para cima de sua linha defensiva e não tinha estratégia para suportar isso por muito tempo. Levou o segundo e ao descer para os vestiários parecia irremedialmente batido,.

Na segunda etapa Dagoberto,pela idade e falta de ritmo de jogo, deixou o time. O Bahia forçava o ataque. E por incrível que possa parecer a maldição do ex- mais uma vez se concretizou. Arthur, o ex-Palmeiras, que defendeu o Tubarão na série B do ano passado, com 1,67m de altura, subiu mais que a zaga do LEC para fazer 3 x 1. O quarto já sairia logo depois, também de cabeça, mas com um atacante de 1,90m, que estava absoluto na área, sozinho, para testar e jogar na rede. Um jogo para esquecer.

A Volta no Estádio do Café

Era de se imaginar que o elenco quisesse terminar bem a Copa do Brasil e fosse preparado para devolver a derrota, mesmo que não igualasse este placar elástico. Mas para manter acessa a chama com a torcida, que sentiu a goleada. Porém, o que aconteceu até agora foi só coisa ruim. Após uma declaração que não revelava a intenção de sair, Roberto Fonseca de desligou e Alemão vai reassumir o comando do time. O que ocorreu na verdade, dificilmente saberemos. As afirmações são desencontradas.

A torcida não pode abandonar o time. Vamos ter uma série B pela frente e com um elenco que pode ser capaz de encaixar suas peças e ter uma bela campanha. Portanto, a expectativa é de que tenhamos bom público e o torcedor verdadeiro incentivando o LEC para que volte a ser o Tubarão que não perde fácil dentro de casa. Só Paulinho Mocelin não jogará, pela expulsão no último jogo. Alemão comandará o time e já ouvi torcedor mais entusiasmado dizendo: “Eu acredito”. Como o verbo se conjuga em todas as pessoas, vamos esperar que outros se juntem no incentivo.

 

Antenor Ribeiro – Destak News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *