Terroristas franceses são mortos

Terroristas são mortos na França

Os irmãos Said e Cherif Kouachi, suspeitos do atentado de quarta-feira (7) ao jornal satíricoCharlie Hebdo, foram mortos pela polícia francesa após intensa perseguição e cerco policial.

Várias explosões e tiros foram ouvidos nas proximidades da empresa gráfica na localidade de Dammartin-en-Goële, a noroeste da capital, Paris, onde os irmãos se refugiaram nesta manhã, depois de uma troca de tiros com a polícia francesa, fazendo pelo menos um refém.

Segundo a agência de notícias France Presse, os suspeitos saíram atirando contra os policiais que cercavam o prédio. A polícia conseguiu libertar um refém que os suspeitos mantiveram em cativeiro durante várias horas. O anúncio oficial das mortes já foi feito e assim é finalizado o episódio, que terá no entanto, outras informações a respeito do plano todo dos elementos ligados à Al Qaeda, que mataram editores de uma revista e ainda dois policiais no atentado que o mundo acompanhou.

O terceiro elemento que teria também companhia de uma mulher, foi morto na loja de produtos judaicos, onde infelizmente alguns reféns também perderam a vida. Esse suspeito morto, Amedy Coulibaly, 32, invadiu um mercado judaico em Porte de Vincennes, em Paris, e também fazia reféns no local. Segundo a agência Reuters, o sequestrador e mais quatro reféns foram mortos.

O cerco

A polícia francesa cercou uma gráfica em Dammartin-en-Goële, perto de Paris, onde estão os irmãos Cherif e Said Kouachi, principais suspeitos do ataque que matou doze pessoas na revista Charlie Hebdo, reporta o jornal Le Figaro. O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, confirmou que uma operação policial está em curso no local, mas não forneceu mais detalhes. O governo também comunicou que é “quase certeza” que os irmãos Kouachi estão na gráfica. Testemunhas relataram a presença de pelo menos cinco helicópteros sobrevoando a região. Não há a ainda a confirmação oficial de vítimas, mas se pressupõe a existência de reféns, já que a imprensa francesa noticia que há ao menos uma pessoa em posse dos terroristas.

De acordo com a imprensa francesa, a polícia está mantendo negociações com os suspeitos armados. Ainda segundo a mídia local, os irmãos Kouachi declararam aos negociadores da polícia que queriam morrer como mártires. Por volta das 8h40 (horário local, 5h40 em Brasília), de acordo com o canal de televisão RTL, dois homens tomaram à força um veículo, um Peugeot 206, de uma mulher na cidade de Montagny-Sainte-Félicité, no departamento de Oise, que os identificou como os irmãos Kouachi. Alguns minutos mais tarde, já em Dammartin-en-Goële, a 40 quilômetros de Paris, aconteceu um tiroteio com a polícia.

Nesta sexta-feira, em Parais, pelo menos duas pessoas foram mortas em uma loja kosher (judaica) no leste de Paris onde, horas antes, um homem sequestrou pelo menos cinco pessoas, segundo fonte citada pela Agência France Presse.

“É o atirador de Montrouge”, disse a fonte policial à agência de notícias, referindo-se ao assassinato de uma policial na quinta-feira (8), em Montrouge, na periferia sul de Paris.

As autoridades ordenaram às escolas da região do sequestro que os alunos sejam mantidos dentro das instalações até nova ordem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *