Temer sai em defesa de Graça Foster

Há um ditado popular que dizer: “O pior cego é o que não quer enxergar”. No momento atual quem está encarnando este ditado é o representante do PMDB no governo Dilma. O vice-presidente da República, Michel Temer, defendeu hoje (16) a presidenta da Petrobras, Graça Foster, em relação às denúncias de corrupção na empresa. Ele ressaltou que não existem acusações formais contra ela. Pode não ter ainda um inquérito ou ação contra a presidenta da estatal, porém, acusações já foram feitas há algum tempo. A mais recente, por uma também diretora da Petrobras, que disse ter alertado a sra. Foster, que ignorou, a respeito das falcatruas que estavam ocorrendo.

“Seja qual for a medida a ser tomada, não há nada envolvendo os critérios pessoais, a conduta, a lisura da presidenta Graça Foster”, disse Temer. Ele também comentou o relatório final da comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI), apresentado na semana passada pelo deputado Marco Maia (PT-RS). “O Ministério Público já está tomando todas as providências e a Polícia Federal está fazendo as investigações que deve fazer”, minimizou o integrante do outra maior partido de oposição do país, que resolveu aliar-se ao governo petista já faz algum tempo.

De acordo com as delações premiadas da Operação Lava Jato, que está expondo as entranhas da Petrobras, o PMDB era um dos partidos beneficiados pelo esquema corrupto, ao  lado do PT e PP.

Para o vice-presidente, as conclusões da CPMI não influenciam as decisões do Ministério Público, o Executivo e tampouco o Judiciário. Na verdade a CPMI foi uma maquinação, um faz de conta, apenas para tentar passar à sociedade uma pseudo investigação, que nada permitiu fosse esmiuçado.

Presidente nacional do PMDB, Temer participou na manhã desta terça-feira de encontro em um hotel na zona Sul do Rio de Janeiro, com  peemedebistas, para discutir propostas de reforma política no país.

O vice-presidente chamou de transitória a crise na Petrobras, com a queda das ações e de investimentos. “É natural que, em face dos noticiários e questões envolvidas, haja eventuais perturbações econômicas na Petrobras”, minimizou.

Michel Temer disse ter “absoluta convicção de que, superado este momento inicial”, a empresa voltará ao tamanho que sempre teve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *