Rede dá aval para apoio a Aécio Neves

Há informação de que em reunião realizada na noite da terça-feira (7), a Executiva da Rede, o grupo político de Marina Silva, deu aval para que a ex-senadora confirme a tendência anunciada de apoio à candidatura do tucano Aécio Neves.

“A decisão da Executiva da Rede, que tem 24 membros, é pela não continuidade do atual governo. E que é preciso uma mudança, mas uma mudança qualificada”, afirmou Walter Feldman, coordenador-geral da campanha de Marina. Ele afirmou que essa posição será submetida ao diretório da Rede, composto por 120 pessoas, hoje,  quarta-feira (8).

A candidata do PSB acabou em terceiro na disputa à Presidência e, no próprio domingo, havia sinalizado a inclinação de apoiar Aécio no segundo turno. Para isso, entretanto, colocou como condição que o tucano assuma perante à sociedade pontos do programa que ela defendeu, entre eles o fim da reeleição e a manutenção dos programas sociais.

Marina, que estava no apartamento que usa em São Paulo, participou da reunião desta terça, realizada por teleconferência. “A Marina se pronunciou na reunião e o pronunciamento foi na direção dessa decisão final. É fundamental para a Marina ter o respaldo da Rede”, disse Feldman.

Ex-integrante do PT e ex-ministra do governo Luiz Inácio Lula da Silva, ela tem demonstrado a aliados profunda mágoa com a operação de desconstrução de sua imagem que foi patrocinada pela campanha da atual presidente, Dilma Rousseff (PT).

PSB define posição

A  Comissão Executiva Nacional do PSB vai se reunir na próxima quarta-feira (8), em Brasília, a partir das 14h, na sede do partido, para uma avaliação da disputa eleitoral do último domingo (5)  e sobre o apoio da legenda a um dos candidatos à Presidência da República no segundo turno da eleição presidencial. A candidata da Coligação Unidos pelo Brasil (PSB, REDE, PHS, PRP, PPS, PPL e PSL), Marina Silva, ficou em terceiro lugar com 21,32% dos votos válidos.

Amanhã (7), a Executiva Nacional do PPS, uma das siglas da coligação que apoiou Marina, vai se reunir a partir das 14h, na sede da legenda, em Brasília, para definir a posição do partido sobre quem apoiará no segundo turno da eleição presidencial. De acordo com a assessoria do PPS, o presidente, deputado Roberto Freire (SP), disse que os partidos da coligação vão tentar definir um posicionamento comum para ao apoio no segundo turno das eleições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *