Procon e MP vêm abuso nos combustíveis

MP e PROCON agem contra preços abusivos nos combustíveis em Londrina

O Promotor Miguel Sogaiar e Gustavo Richa, do PROCON de Londrina concederam entrevista para tornar pública atuação conjunta após a greve dos caminhoneiros. Em 19 postos de combustíveis fiscalizados foi identificada a prática de preços ultra abusivos. Nas redes sociais os londrinenses mostraram revolta contra os preços que passaram a ser praticados após o movimento dos caminhoneiros. O apoio inicial aos trabalhadores, ignorando-se a possibilidade de locaute, foi substituido por um sentimento de indignação, ao se perceber que após a crise os preços foram absurdamente majorados.

Foi aberto procedimento administrativo. E haverá procedimento investigatório criminal. As autoridades buscam informação junto à ANP e a Receita Estadual, pedindo os preços praticados em todos os postos entre 13 de Maio e 9 de Junho. De acordo com o promotor, a solicitação é por preços da venda dos postos para o consumidor, da distribuidora para os postos e da usina de álcool e das refinarias para as distribuidoras.

Se as explicações não forem justificativas válidas, a promotoria pode oferecer denúncia  crime contra as relações de consumo. Em Londrina a Receita Estadual deve entregar o conteúdo solicitado até o final da semana.

Na política de preços praticada pela Petrobras, mesmo com variações que poderiam ser diárias, era comum que o preço nos postos fossem aumentados tão logo ocorresse o anúncio do preço a ser cobrado pelas refinarias. Em contrapartida, como acontece nos últimos dias, quando os preços sofreram redução, não se viu a mesma prática dos postos.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com informação da rádio Paiquerê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *