PM exige “masculinidade” em concurso

E um concurso aberto pela PM no Paraná, traz em seu edital uma exigência que está sendo muito criticada. Exige-se “masculinidade” dos candidatos. Um dos 72 critérios da avaliação psicológica é a exigência de masculinidade por parte dos homens e mulheres, com idade até 30 anos, que podem se candidatar. E o número de vagas preenchidas por mulheres não pode ultrapassar 50% do total, em respeito à lei estadual número 14.805 de 2005.

Após as críticas, a PM afirmou que foi dada, por parte de alguns setores da sociedade, uma interpretação equivocada ao critério “masculinidade”, cujo objetivo, seria “avaliar a estabilidade emocional e a capacidade de enfrentamento, aspectos estes extremamente necessários para o dia a dia da atividade policial militar”. O critério masculinidade é descrito no anexo II do edital como “capacidade de o indivíduo em não se impressionar com cenas violentas, suportar vulgaridade, não emocionar-se facilmente, tampouco demonstrar interesse em histórias românticas e de amor”. Ainda segundo o mesmo edital, a “masculinidade” deve ser apresentada em um grau maior ou igual a “regular”.

A Aliança Nacional LGBTI e o Grupo Dignidade publicaram uma nota de repúdio ao edital, afirmando que a exigência de masculinidade desconsidera a possibilidade de mulheres se candidatarem às vagas ou quer que elas tenham características masculinas, o que consideram discriminatório.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *