PF faz operação contra tráfico

Em Londrina a semana começou com grande movimentação da policia federal e elementos da Receita Federal. A parceria cumpre desde a madrugada desta segunda-feira (15) 49 mandados judiciais – 20 de prisão, 7 de condução coercitiva e 22 de busca e apreensão – em 15 cidades do Paraná, destacando-se Londrina, assim como São Paulo, Mato Grosso do Sul, Sergipe e Bahia. A Operação Ferrari tenta desarticular cinco núcleos de organização criminosa acusados de tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Aproximadamente 300 policiais federais e 28 servidores da Receita Federal participam dessa operação. Os presos estarão sendo levados para a superintendência da PF na capital paranaense. Segundo informações do portal G1 Paraná, a organização criminosa mantinha casas em condomínios de luxo em Londrina, Norte do Paraná, e utilizava carros importados, além de embarcações de alto valor. O patrimônio da quadrilha foi avaliado pela PF em aproximadamente R$ 40 milhões.

Ainda de acordo com o portal de notícias G1 Paraná, a Polícia Federal explicou que o nome da operação faz alusão ao estilo de vida luxuoso que os criminosos mantinham. A quadrilha lavava dinheiro de várias empresas, e uma delas chama-se Ferrari.

Durante a operação, são cumpridos o sequestro de 20 imóveis, bloqueio em 30 contas correntes e apreensão de mais de 100 veículos adquiridos por meio de práticas criminosas. O quarteirão onde fica a sede da PF em Londrina, na área central da cidade – Rua Tietê, 1.450, Vila Nova – foi bloqueado para receber os veículos apreendidos.

Além de Londrina, a operação também ocorre em Cambé, Arapongas, São Jerônimo da Serra e Porecatu, no Paraná. Em São Paulo, policiais fazem buscas em Osasco, Indaiatuba, Hortolândia, Salto, Sumaré, Araçoiaba da Serra e Campinas. Mundo Novo é o alvo em Mato Grosso do Sul, Salvador, na Bahia, e Aquidabã, no Sergipe.

Mais detalhes a qualquer momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *