MP denuncia ex-governador Beto Richa novamente

No Paraná treze pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público no âmbito da Operação Rádio Patrulha, nesta terça-feira (25). Entre os denunciados está o ex-governador Beto Richa (PSDB).

Todos são acusados de formarem um esquema de propina para desvio de dinheiro por meio de licitações no programa “Patrulha do Campo”, para recuperação de estradas rurais do estado.

Esta é a relação dos denunciados e os crimes imputados:

  • Beto Richa – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Pepe Richa – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Deonilson Roldo – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Ezequias Moreira – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Aldair Petry – corrupção passiva e fraude a licitação
  • Luiz Abi – corrupção passiva
  • Celso Frare – corrupção ativa e fraude a licitação
  • Joel Malucelli – corrupção ativa e fraude a licitação
  • Edson Casagrande – fraude a licitação e corrupção ativa
  • Túlio Bandeira – fraude a licitação e corrupção ativa
  • André Felipe Bandeira – fraude a licitação e corrupção ativa
  • Emerson Savanhago – fraude a licitação
  • Robison Savanhago – fraude a licitação

Beto Richa já esteve preso temporariamente em 11 de agosto, sendo sido colocado em liberdade, após concesão de habeas corpus pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal .

Segundo o MP, os empresários ofereciam dinheiro em troca de atos de ofício por parte de agentes públicos para venceram as licitações. O valor acertado, de acordo com os procuradores, correspondia a 8% do valor bruto dos contratos.

Ainda de acordo com a denúncia, foram pagos R$ 8.152.474,44 em vantagens indevidas, em 36 pagamentos mensais.

Beto Richa, que é candidato do PSDB ao Senado, era o “principal destinatário final das vantagens indevidas prometidas pelos empresários, plenamente ciente das tratativas e reuniões realizadas”, afirma a denúncia do MP.

A mulher do ex-governador, Fernanda Richa, e o contador da família dele, Dirceu Pupo, que também foram presos na operação, agora não foram denunciados pelo MP, mas seguem como investigados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *