Morreu Fidel Castro

O ex-ditador de Cuba Fidel Castro morreu aos 90 anos de idade, informou neste sábado (26) seu irmão, o atual mandatário do país, Raúl Castro, em um discurso transmitido pela televisão estatal.

O líder histórico da Revolução Cubana morreu na noite de sexta-feira (25), às 22h29 (hora local), e seu corpo foi cremado “atendendo sua vontade expressa” na manhã deste sábado, explicou Raúl Castro, visivelmente emocionado. Ele não fez comentários sobre a causa da morte do irmão, ainda desconhecida.

Fidel Castro foi visto pela última vez no último dia 15, quando recebeu em sua residência o presidente do Vietnã, Tran Dai Quang.

Cuba fará luto oficial de nove dias para se despedir de Fidel. As cinzas do líder da Revolução Cubana percorrerão a ilha em uma carreata, antes de chegar ao seu destino final, o maior cemitério de Santiago de Cuba, em 4 de dezembro.

O governo de seu irmão, Raúl, nomeou uma comissão especial para organizar os funerais. As cinzas ficarão expostas na segunda e na terça-feira próximas no memorial José Martí, na praça da Revolução, em Havana, onde a população poderá prestar sua homenagem, segundo um comunicado oficial.

Na mesma terça-feira, dia 29, às 19h locais (22h de Brasília), Havana despedirá o histórico dirigente com um ato multitudinário na Praça da Revolução, coração político de Cuba, onde Fidel fez muito de seus famosos e quilométricos discursos.

No dia seguinte, começará uma peregrinação com as cinzas de quatro dias, entre 30 de novembro e 3 de dezembro, que percorrerá 13 das 15 províncias da ilha.

Os restos mortais do líder viajarão de estrada no sentido contrário ao da “Caravana da Liberdade”, a mesma que levou um Fidel triunfante de Santiago de Cuba até Havana em 1959, quando depôs a ditadura de Fulgencio Batista. E instalou a sua própria ditadura.

Despedida

Ao longo de seus 90 anos, Fidel Castro se transformou em indiscutível e controverso protagonista do último século. Em 2011, o líder da Revolução Cubana admitiu que nunca pensou que viveria “tantos anos” e em abril deste ano pareceu se despedir: “Em breve serei como todos os outros. A vez chega para todos”. Chegou o seu dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *