Maduroo acusa Colômbia por suposto atentado

O presidente venezuelano, Nicolas Maduro, afirmou que o chefe de governo da Colômbia, Juan Manuel Santos, está por trás do suposto atentado que sofreu no Sábado em um ato público com militares em Caracas e afirmou que já foram capturadas provas.

“Esclarecemos a situação em tempo recorde, e se trata de um atentado para me matar, tentaram me assassinar e não tenho dúvida de que tudo aponta para a direita, a extrema-direita venezuelano em aliança com a extrema-direita colombiana e que o nome de Juan Manuel Santos está por trás deste atentado, não tenho dúvidas”, disse o presidente venezuelano.

Maduro fez as declarações em pronunciamento em rede obrigatória de rádio e televisão, cerca de três horas depois do incidente no qual ficaram feridos sete militares. “A sanha assassina da oligarquia colombiana e tenho certeza aparecerão todas as provas, mas os primeiros elementos de investigação apontam para Bogotá”, reiterou.

Maduro comentou que o atentado aconteceu após anúncios do final do regime de Santos. “É que Juan Manuel Santos entrega a prasidência no dia 7 de Agosto e não pode ir embora sem fazer uma piada com a Venezuela, sem dar um prejuízo, uma maldade contra a Venezuela”, disse.

“Tenho que informar que foram capturados parte dos autores materiais do atentado contra minha vida, foi apreendida parte da e vidência e não vou antecipar mais, mas a investigação já está muito adiantada”, continuou.

Um grupo anônimo chamado Soldados de Flanela reivindicou a autoria da Operação Fênix, nome com o qual identificaram o atentado contra Maduro. “Nosso presidente Nicolas Maduro está em perfeito estado de saúde, em perfeitas condições”, disse Rodriguez em um pronunciamento transmitido pela televisão VTV. Ainda de acordo como ministro de informação do país, Jorge Rodriguez, vários drones armados com explosivos detonaram perto de onde Maduro fazia um discurso pela comemoração dos 81 anos da Guarda Nacional Bolivariana. O suposto atentado ocorreu quando Maduro, no fechamento do evento, defendia em discurso as últimas medidas econômicas do seu governo, que são rechaçadas pela oposição. A Venezuela é um país que tem as maiores reservas de petróleo do Mundo, mas vive uma crise com escassez de todo tipo de produtos, hiperinflação e uma péssima prestação de serviços públicos. Diariamente ocorrem no país dezenas de protestos, exigindo alimentos, transporte, água, eletricidade e melhores salários, entre outras reivindicações.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *