Londrina tem gasolina mais cara

Sem fiscalização e controle combustível sobe mais do que o previsto em Londrina. Na segunda maior cidade do estado do Paraná, o combustível teve elevação de preço maior do que o esperado ou anunciado pelo governo. Quando, na média, o consumidor brasileiro pagou 2,86% a mais para encher o tanque de seu automóvel com gasolina nesta semana, em Londrina desde a última sexta-feira (6), o litro do combustível subiu para R$ 3,06.

Para as distribuidoras, o aumento no preço cobrado pela Petrobrás foi de 4% desde o último sábado. No caso do diesel, que teve autorizada alta de 8% na refinaria, a média nos postos ficou em 4,82% para o consumidor final. A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) divulgou nesta sexta-feira, 6, o primeiro levantamento após o reajuste da Petrobrás, anunciado há uma semana, porém o reajuste em Londrina passou a vigorar após as 14:00hs, conforme a reportagem conseguiu apurar em alguns estabelecimentos. Como se fosse uma combinação de preços, todos os postos majoraram os valores após esta hora..

No Brasil o Estado do Acre registrou o maior valor absoluto para a cobrança do litro da gasolina: R$ 3,337. Já o menor valor foi no Piauí, com preço na bomba a R$ 2,788. Em São Paulo, o preço médio ficou em R$ 2,814 nas bombas, enquanto nas distribuidoras foi de R$ 2,373.

Em média, os preços nas bombas variaram entre 1,4% e 6%. A maior variação foi sentida na Bahia, onde o preço da gasolina saiu de R$ 2,855 para R$ 3,027 (alta de 6%), de acordo com o levantamento. Em toda a região Nordeste, a alta ficou em 2,9%. Em Pernambuco, a variação foi de 2,1%, com o preço de R$ 2,849 pela gasolina. No Ceará, o combustível subiu 2%, chegando a R$ 2,861. Na região Centro-Oeste, a alta da gasolina ficou em 3,1%.

O destaque foi Goiás, com valores de R$ 3,046 e alta de 3,6% nos combustíveis na bomba. Já na Região Sul, em média, a alta foi de 3,4%. A maior elevação da região foi registrada no Rio Grande do Sul, com 3,8% de alta do combustível. No Sudeste, a alta ficou em 2,7%, com destaque para São Paulo. O Estado registrou alta de 3,1% no preço da gasolina, que ficou em R$ 2,814 nas bombas, em média. Já no Norte, a alta foi de 2,2%.

O preço do etanol – que compõe a fórmula da gasolina com 25% – também aumentou, mesmo sem uma elevação de encargos por parte do governo. Em média, a alta foi de 2,24%, com destaque para a região Centro Oeste, onde a alta chegou a 5,6% nas bombas.

O diesel também foi reajustado e a maior alta foi sentida na região Sul, onde os preços variaram 5,5% na última semana. No Sudeste, a variação ficou em 4,7% com destaque para São Paulo, onde os preços chegaram a R$ 2,40, com alta de 2,4% em média.

Na última sexta-feira, dia 29, a Petrobrás anunciou o reajuste do preço da gasolina em 4% e o diesel em 8%, válidos a partir do sábado, dia 30. Segundo o IBGE, que divulgou nesta manhã os resultados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a elevação ainda não foi sentida na inflação do mês de novembro. O item só deve sofrer o impacto a partir de dezembro.

Em Londrina já houve denúncia de cartel e empresários do setor sofreram condenação. Aparentemente, porém, os procedimentos na categoria continuam como dantes.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com informações do jornal O Estado de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *