Londrina necessita planejamento

Como Londrina está se preparando para os próximos anos? Existe um estudo para adequar o Plano Viário da cidade ao crescimento da frota? O Plano Diretor contempla modificações que permitam  preencher os espaços vazios e definir o crescimento ordenado da cidade? O Código de Obras está atualizado?

Foi na administração Wilson Moreira, no período de 1983 a 1988, que mais se preocupou com a preparação da cidade para o futuro. E na administração José Richa, pai do atual governador, Beto Richa, a cidade também teve a influência de Wilson Moreira, que foi secretário de obras na época.

Outros prefeitos ajudaram, obviamente, no desenvolvimento e progresso da cidade. A retirada dos trilhos da área central, a Avenida Leste/Oeste, a rodovia João Strass, a definição de locais para industrialização, como a fixação na Zona Norte de empresas de grande porte, como Dixie-Toga e Atlas/Villares, marcaram pontos importantes na trajetória da Londrina que ultrapassou 500 mil habitantes. Porém, Londrina não para de crescer. E precisa ter visão para os próximos anos.

A cidade começa a sentir problemas mais graves com engarrafamentos e falta de espaço para estacionamento em alguns pontos. O escoamento de veículos já está ficando complicado em alguns horários. Trabalhadores já perceberam que gastam mais tempo entre a casa e o trabalho, utilizando seus próprios veículos. Já o transporte coletivo, com a faixa exclusiva, que já poderia ter sido implantada anteriormente, pois lei que previa isto já existia, também necessitará de maior atenção. Afinal, a massa transportada diariamente também vai crescendo. Terminais e canaletas para ônibus, facilitando o fluxo, podem garantir um transporte de qualidade e com preço justo.

A atual administração, envolta em denúncias, está próxima do seu último ano, caso não ocorra uma cassação de mandato antes disso. E a cidade fica sem norte, sem projeto, fazendo maquiage. O IPPUL, que muitos acreditavam ser o responsável pelo verdadeiro planejamento da cidade, não tem demonstrado atingir seu objetivo. A CODEL, mesmo mudando o nome, continua inoperante. Há quanto tempo não se tem notícia de uma grande empresa que vem para Londrina? O comércio e a construção civil continuam em bom ritmo, mas Londrina pode mais. A se lamentar que administrações se sucedam e etapas estejam sendo queimadas para o desenvolvimento da cidade. Com a proximidade de mais um ano eleitoral, fica sempre a esperança de que alguém verdadeiramente com preparo para gerir os destinos da cidade se apresente ao eleitorado.

Antenor Ribeiro – Destaknews

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *