Jérôme Valcke aprende boas maneiras

Ministro oficializa pedido de troca de interlocutor da Copa e secretário se desculpa

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, enviou hoje (5) carta à Federação Internacional de Futebol (Fifa) pedindo a substituição do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, como interlocutor entre a Fifa e o governo federal para a organização da Copa do Mundo de 2014. Logo após o envio da carta à Fifa, Valcke pediu desculpas ao ministro.

Na última sexta-feira (2), Valcke afirmou que o Brasil estava mais preocupado em ganhar a Copa do que em organizá-la. Disse ainda que organizadores do Mundial precisavam de “um chute no traseiro”.

“Recebemos com espanto as inapropriadas declarações do senhor Jérôme Valcke nos últimos dias à imprensa internacional. A forma e o conteúdo das declarações escaparam aos padrões aceitáveis de convivência harmônica entre um país soberano como o Brasil e uma organização internacional centenária, como a Fifa”, diz Rebelo na carta.

O ministro ressalta que o governo brasileiro não pode mais aceitar Valcke como interlocutor após suas últimas declarações sobre a preparação do país para o Mundial.

Após o Brasil oficializar o pedido de mudança de interlocutor, Valcke enviou um pedido de desculpas ao ministro Aldo Rebelo. Ele disse que lamenta “profundamente” a interpretação incorreta de suas declarações. Segundo o secretário-geral da Fifa, em francês, a expressão “um chute no traseiro” significa “apenas acelerar o ritmo”.

“Gostaria de pedir desculpas ao senhor e também a qualquer pessoa que tenha se sentido ofendida com as minhas palavras. Há certamente um ar de preocupação na Fifa e, sendo eu, em última análise, a pessoa responsável por essa Copa do Mundo, estou sob bastante pressão”, diz o secretário na carta. Valcke destaca ainda que sente “imenso respeito e admiração” pelo Brasil. É uma demonstração de humildade do diretor da Fifa, que parece estar aprendendo boas maneiras. Cobrar aceleração do ritmo é importante, pois sabe-se que uma Copa do Mundo é evento para todo o planeta acompanhar. Mas o Brasil é especialista, aparentemente, em Programa de Aceleração.

Segundo o Ministério do Esporte, o pedido de desculpas representa uma reação da Fifa ao episódio, mas o ministro Aldo Rebelo só deve se pronunciar depois de analisar a carta. Não custará nada reconhecer que o pedido de desculpas é suficiente e daqui pra frente as coisas seguirão em patamar mais elevado e menos chulo.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com informação da Agência Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *