Investigadora mata o filho e suicida

Uma tragédia em Cambé, no Norte do Paraná

Dolores Mileide de Souza Simões, investigadora da Polícia Civil de Apucarana, matou o filho de quatro anos e cometeu suicídio em seguida. Isto aconteceu na cidade de Cambe, na região Metropolitana de Londrina. Segundo a Polícia Militar, a mulher deixou um bilhete relatando problemas que enfrentava com o pai da criança.

A suicida escreveu: “A psicóloga Joana “monta” um verdadeiro parque de diversões, meu filho diz que não quer o “pai” dele. A psicóloga Joana pede que eu entre para acalmar meu filho. Eu entrei. Logo após o “pai” dele entrou e foi só brincadeiras e maravilhas. Meu filho em fevereiro de 2017 me relatou que foi abusado pelo pai e hoje 04/07/18 a visita assistida??? “justiça que dá oportunidade p/ pai estuprador

Meu filho não vai ser estuprado!!! Meu filho é um anjo! Justiça?? Para que? Mileide. Eu amo meu filho”.

A investigadora acusou o ex-marido de ter cometido violência sexual contra o filho, mas a Justiça, mesmo assim, autorizara o paai a visitar a criança. Os corpos foram encontrados na noite de sexta-feira por pessoas da família em um condomínio fechado na cidade de Cambe.

Mileide e o filho não eram vistos desde quinta-feira. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal de Londrina e a Polícia Civil investigará o ocorrido.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Um comentário em “Investigadora mata o filho e suicida

  • 7 de julho de 2018 em 3:33 pm
    Permalink

    Muito triste isso. Ela devia ser uma pessoa que lidava com estresse na função de investigadora, mas quando o drama é pessoal toma outra dimensão. Matar o próprio filho é uma coisa que não dá para entender, por maior que seja o absurdo de uma decisao da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *