Polícia prende suspeito nº 2 em Boston

Após 22 horas de operação policial é preso o segundo suspeito do atentado de Boston nos EUA

A polícia conseguiu prender o segundo suspeito do atentado na Maratona de Boston nesta sexta-feira à noite, depois de um dia de tensão por todo o país e notadamente em Boston.

Pouco depois das 08:00hs (horário local) a polícia cercou um barco guardado atrás de uma casa em East Watertown, nas proximidades de onde Dzhokhar Tsarnaev, 19 anos, tinha sido vista pela última vez. Autoridades disseram que Tsarnaev estava dentro de um barco, que estava nos fundos de uma casa. Uma pessoa suspeitou de sua presença ali, devido a manchas de sangue. O barco estava coberto por uma lona. Aparentemente o suspeito estava ferido, mas vivo. A polícia agiu de acordo com a cartilha, chamando seu nome, na tentativa de induzir a sua rendição, que acabou acontecendo.

O outro suspeito nos ataques, o irmão de 26 anos de idade, Tamerlan, foi morto no início da manhã sexta-feira após um tiroteio com a polícia também em Watertown.

A história dos irmãos Tsarnaevs torna-se uma nova lição sobre o poder de ampliação terrível de terrorismo. Dois irmãos de aparência normal, armados com bombas de baixa tecnologia e sem plano de fuga aparente, agiram como terroristas e causaram a morte de pelo menos quatro pessoas, ferimentos graves em outras mais de 170, e espalhou o terror em uma das grandes cidades da América do Norte. Agora espera-se pela história a ser contada pelo sobrevivente, cuja família aparentemente também não suspeitava de sua tendência terrorista.

Autores do atentado em Boston são identificados e perseguidos

A polícia dos EUA identificou os dois suspeitos do ataque na Maratona de Boston. Eles são dois irmãos de origem chechena e moravam legalmente nos EUA, segundo as autoridades americanas. Após esta identificação houve perseguição policial à dupla na madrugada da sexta-feira e no confronto um dos terroristas morreu, enquanto o outro continua sendo caçado.

Dzhokhar A. Tsarnaev, de 19 anos, é o suspeito número 2, que é perseguido. O suspeito morto é  Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos. Uma autoridade de segurança nacional disse à agência Reuters que os irmãos viviam havia muitos anos nos EUA, e que o governo trabalha com a hipótese de que o atentado tenha sido motivado por extremismo islâmico. A Chechênia é uma república da Federação Russa, com um governo apoiado por Moscou em Grozni. A região é palco de incidentes violentos provocados por insurgentes separatistas islâmicos. O Federal Bureau of Investigation (FBI) havia divulgado na véspera imagens dos suspeitos.

Segundo a informação policial, o rapaz morto é o mesmo que foi identificado como suspeito número 1 pelo FBI. No dia da maratona, ele usava um boné preto, óculos de sol e carregava uma mochila.

De acordo com o porta-voz da polícia de Boston, o segundo suspeito continua foragido na cidade de Watertown, a 10 quilômetros de Boston.

Ele aparece nas fotos divulgadas pelo FBI, a Polícia Federal norte-americana, ontem (18) usando um boné branco momentos antes da explosão dos artefatos. Em outra imagem liberada pela polícia, ele aparece usando um casaco de moletom cinza com um capuz.

A polícia pediu à população de Watertown que não saia de casa e entre em contato com os serviços de emergência se virem algo suspeito.

Homenagem

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, participou de   uma homenagem às vítimas do atentado na Maratona de Boston, em meio à perseguição a um indivíduo suspeito que foi visto em um vídeo feito antes das duas explosões, perto da linha de chegada da corrida na segunda-feira. 

Obama discursará durante cerimônia ecumênica realizada em homenagem às vítimas das explosões, que mataram três pessoas e feriram 176, no pior ataque em solo norte-americano desde o 11 de setembro de 2001.

A viagem também vai tirar o presidente da capital norte-americana, Washington, que ficou agitada na quarta-feira depois que o FBI prendeu um homem no Mississippi por ligação com cartas enviadas ao Presidente e a outras duas autoridades que se acreditava conter ricina, um veneno letal. 

O FBI, a polícia federal norte-americana, disse não haver nenhuma indicação de conexão entre as cartas com ricina e os ataques a bomba em Boston, mas os incidentes despertaram lembranças dos ataques por correio com antraz ocorridos após o 11 de Setembro, há 12 anos.

Os investigadores acreditam que as bombas de Boston foram feitas com panelas de pressão repletas de estilhaços. Dez vítimas tiveram membros amputados, e os médicos informaram ter arrancado pregos e esferas de ferro dos corpos dos feridos.

Identificação

Imagens que mostram dois suspeitos dos atentados à Maratona de Boston estão circulando entre os policiais, de acordo com informações do jornal “New York Post”. Em uma das fotos, tirada às 10:53hs, dois homens são vistos conversando perto da linha de chegada da corrida. Um deles está usando uma mochila preta, o outro, uma bolsa azul. Em uma outra foto, tirada às 12:30hs, a mochila preta sai de cena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *