Suspeito de feminicídio será transferido

A investigação sobre a morte de advogada em Guarapuava, segue considerada como feminicídio

O advogado do suspeito do crime, Claudio Dalledone Júnior, afirmou que “era um casal feliz”, referindo-se a Luiz Felipe Manvailer e Tatiane Spitzner, a vítima. Ele é professor e ela exercia a profissão de advogada. A versão do marido é que a mulher teria se jogado após uma discussão que tiveram no interior do apartamento do quarto andar. Tatiane não sobreviveu. Seu corpo foi levado da calçada, onde caiu, novamente para o apartamento, pelo suspeito, conforme imagens de câmeras de segurança. A polícia civil trata o caso como suspeita de feminicídio. Após levar o corpo para o interior do apartamento, onde ele foi encontrado, o suspeito teria empreendido fuga, buscando o Paraguai, via Foz do Iguaçu, mas sofreu um acidente na estrada, que frustrou seu plano.

O suspeito está preso em São Miguel do Iguaçu, no Oeste do estado do Paraná, onde foi preso no domingo. A Justiça autorizou a transferência de Luiz Felipe para o Complexo Médico-Penal em Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Essa transferência, porém, depende de escolta policial e deve ocorrer ainda nesta terça-feira.

Feminicídio em Guarapuava

O delegado de São Miguel do Iguaçu, na região Oeste do Paraná, Francisco Sampaio, informou que o homem que recolheu o corpo da advogada Tatiane Spitzner, de 29 anos e levou para o apartamento após queda do 4º andar do prédio, é o marido dela, Luis Felipe Manvailer. O caso ocorreu na madrugada de domingo, em Guarapuava e está sendo tratado como feminicídio. O corpo de Tatiane foi sepultado na manhã desta segunda-feira no Cemitério Municipal de Guarapuava. De acordo com o delegado, tudo leva a crer que o marido tentou fugir para o Paraguai.  Ele sofreu um acidente na BR-277, em São Miguel do Iguaçu, a 340 Kms da cidade onde o crime foi cometido e após ser preso negou ter matado a esposa. “ao dormir no volante e perder o controle, o carro que ele dirigia parou entre as duas pistas que ligam São Miguel a Foz. Ao invés de pedir socorro para a concessionária, o que seria mais prático, o motorista saiu a pé em direção Foz do Iguaçu. No meio do caminho foi abordado pela PM e encaminhado para a delegacia”, disse o delegado.

A morte da mulher ocorreu na Rua Senador Pinheiro Machado. A informação passada foi de que uma mulher “teria pulado ou sido jogada da sacada de um edifício, caindo na calçada”. Quando chegou ao local, os policiais viram muito sangue na calçada e foram informados de que um homem havia carregado o corpo para dentro do prédio. A equipe da PM foi até um apartamento localizado no quarto andar, onde encontrou rastros de sangue. A porta foi arrombada e os policiais encontraram a advogada no chão, com muito sangue na região da cabeça. O SAMU foi chamado, mas a vítima estava sem vida, segundo o Boletim de ocorrência. Uma perícia será feita no apartamento. Luiz Felipe deve ser transferido para Guarapuava. O IML aponta como causa preliminar da morte, a queda ocorrida, porém outros exames periciais serão feitos.

Os primeiros dados sobre o que antecedeu a queda da mulher apontam o casal discutindo em um bar e posteriormente indo para casa, onde brigaram. O marido diz que precisou imobilizar a mulher num sofá, para impedi-la de sair do apartamento.  E ainda conforme disse o marido, a advogada pegou o rumo da sacada e de repente se atirou. Vizinhos relatam que acordaram com o barulho da vítima pedindo socorro e chorando. Um deles foi pegar o telefone para ligar para a polícia e então escutou um barulho e viu a mulher caída na calçada. As evidências apontam para um caso de feminicídio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *