Greve tem início na UEL

A Administração da UEL esteve reunida com o comando de greve do sindicato dos técnico-administrativos (Assuel-Sindicato) para discutir sobre o funcionamento das atividades essenciais na Universidade durante o período de greve que tem início hoje (11/9). Participaram da reunião a reitora Nádina Moreno, a vice-reitora, Berenice Quinzani Jordão, diretores do Hospital Universitário (HU) e AHC, Hospital Veterinário (HV) e da Clínica Universitária Odontológica (COU), além de pró-reitores e o prefeito do Campus.

Durante a reunião foi acordado que no HU estarão funcionando o Pronto-Socorro, o Hemocentro, a Hemodinânica, a Hemodiálise, o Centro de Queimados, a Quimioterapia e a assistência aos pacientes internados nas enfermarias e UTIs. No Ambulatório do Hospital de Clínicas (AHC) vão funcionar o setor de vacinas, oncologia, colostomia e atendimento aos portadores de HIV. Entretanto, foi acordado que na terça-feira dia (11) o AHC vai funcionar normalmente para que não haja transtorno aos pacientes com consultas e atendimentos já agendados. Difícil mesmo é ter acesso ao local, com a movimentação existente por parte dos grevistas na rodovia PR 445 e acessos ao Campus.

No Hospital Veterinário (HV) vai funcionar apenas o Plantão para atendimento de urgência e emergência, garantindo também o atendimento aos animais que já se encontram internados no HV. Na Clínica Universitária Odontológica (COU) vai funcionar apenas o Pronto-Socorro.

A Divisão de Segurança Patrimonial da Prefeitura do Campus (PCU) vai funcionar normalmente e o setor de Transporte vai atender apenas às atividades de emergências e intransferíveis. Já o sistema de horas-extras estará suspenso durante o movimento e os pedidos serão analisados caso a caso.

O funcionamento do Restaurante Universitário (RU) e do Centro de Educação Infantil do HU será avaliado pelo comando de greve e pela Administração da UEL na próxima semana, para definir como ficará o atendimento, que está suspenso a partir desta terça-feira.

As atividades administrativas da UEL vão funcionar com número mínimo de servidores. Na semana que vem, caso continue o movimento grevista, será realizada uma nova reunião entre a administração e o comando de greve para avaliar o funcionamento das atividades essenciais na Universidade, considerando que as outras duas categorias (docentes e estudantes) não se encontram em greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *