Governo nega reajuste a aposentados

Governo veta aumento das aposentadorias acima da inflação

O governo federal não vai conceder aumento acima da inflação para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem mais de um salário mínimo por mês, informou o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, o londrinense Gilberto Carvalho. “Não há reajuste real”, garantiu ele, após se reunir com sindicalistas e representantes dos aposentados. Reajuste não é aumento, defendem sindicalistas, aproveitando o termo empregado pelo ministro. E real é o mínimo que se espera, pois não se vive virtualmente.

As entidades reivindicam aumento em torno de 12% para os cerca de 9 milhões de aposentados e pensionistas do país que ganham mais de um salário mínimo. O impacto do reajuste nesse patamar representaria, de acordo com  o governo, uma despesa adicional de cerca de R$ 8 bilhões para a Previdência.

Carvalho ressalvou que a decisão não é definitiva e o tema voltará a ser discutido no ano que vem. “Não é uma conversa encerrada. Para ter reajuste ano que vem não precisa colocar no Orçamento. Podemos conceder reajuste depois, a conversa continua”. Para representantes dos aposentados, conversa não adianta. É preciso atitude e compreensão com a situação de pessoas que trabalharam anos a fio, contribuiram e foram vitimadas por um fator previdenciário inventado pelo governo e pela política que não repõe as perdas do poder aquisitivo deste aposentados.

Sem acordo, a categoria só terá a reposição da inflação. Até o momento, o governo propõe acréscimo de 6,3%, referente à estimativa da variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) este ano.

O ministro explicou que o momento econômico de incertezas em relação à crise economica mundial exige cautela do governo federal. “Temos responsabilidade, estamos vendo a crise internacional. Para nós, a coisa mais importante é ter uma linha de política econômica. Ser governo é isso, tem que ter coragem de enfrentar e de dizer não. Até com dor no coração”, justificou Gilberto Carvalho. Interessante observar, no entanto, que em campanha política falta esta coragem de dizer que, se eleito, o governo não concederá reajuste aos trabalhadores que ajudaram a construir a economia do país.

Para o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, o veto ao reajuste dos aposentados está relacionado à sustentabilidade do sistema, que precisa passar por reformas. “A discussão é a situação da Previdência, que está precisando de uma reforma para poder pagar melhor os aposentados. Essa a minha posição”. Repensar a previdência não pode passar, necessariamente, por uma punição aos que fizeram sua parte, contribuindo com o estipulado pelo governo durante 35 anos de trabalho, como é previsto para aposentadoria por tempo de contribuição.

A posição do governo não agradou aos representantes dos aposentados. Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, João Batista Inocentini, o aumento reivindicado ajudaria a estimular a economia. “Lula, quando deu aumento para os aposentados, também ajudou o país a sair da crise. Não dá para aceitar [o veto]. Não tenho dúvida de que a presidenta vai perder o voto dos aposentados”, criticou ele. E em 2012 tem eleições. Será a vez, nas urnas, dos aposentados ignorarem os candidatos do governo.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com Agência Brasil

 

Um comentário em “Governo nega reajuste a aposentados

  • 21 de dezembro de 2011 em 12:39 pm
    Permalink

    Que se pode esperar mais do governo? Paguei a vida inteira para me aposentar e quando imaginava que teria o mesmo salário, cortaram 30%. Não pude fazer nada e os deputados também nada fizeram. Nem o Senador Paim, que defendia a classe dos aposentados se importa mais com isso. Falta de respeito com os trabalhadores do país.Na eleição é hora de dar o troco neste tal “Partido dos trabalhadores”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *