Governo melhora estradas na região madeireira

Governo do Estado vai melhorar estradas para escoamento de madeira

O Governo do Estado começou os estudos para melhorar as rodovias municipais e estaduais por onde passa a produção madeireira. O projeto, que tem como parceiro a Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre), faz parte da ampliação do programa Caminhos do Desenvolvimento, que vem melhorando a infraestrutura do escoamento de cana-de-açúcar. Técnicos da Secretaria Estadual da Infraestrutura e Logística e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR) percorrer o cinturão sul do Paraná, para coletar informações de campo.

“Vamos diminuir o tráfego de grandes caminhões nas rodovias movimentadas e dentro dos municípios, criando rotas alternativas para a produção, como estamos fazendo no setor sucroalcooleiro. Esse projeto também vai deixar o Paraná mais competitivo”, disse o secretário estadual de Infraestrutura, José Richa Filho.

O presidente da Apre, Gilson Geronasso, disse que esta parceria é uma conquista importante para o setor. “É o reconhecimento da relevância da base florestal para o desenvolvimento econômico e social do Paraná”, afirma.

A primeira etapa do estudo, concluída sexta-feira (06), levantou informações de 11 empresas do setor agroflorestal, em Irati, Inácio Martins, Rio Azul, Mallet, União da Vitória, Palmas, Bituruna e General Carneiro.

DIÁLOGO – Técnicos do DER e da Apre visitaram as empresas, que concentram a maior produção agroflorestal do Estado e percorreram alguns dos caminhos da produção. “Levantamos basicamente quais rotas as empresas usam e quais as dificuldades que elas encontram nesse processo”, disse a coordenadora de planejamento da Secretaria de Infraestrutura, Josil Voidela Baptista.

Ela explicou que o objetivo da primeira etapa é executar um projeto-piloto, que contemplará os oito municípios do Sul do Estado e que ficará pronto até o fim do ano. O projeto agroflorestal completo será feito em 2014 e vai beneficiar quase 100 municípios paranaenses.

“Após o levantamento, poderemos ver quais caminhos alternativos temos que criar para melhorar o escoamento, além de identificarmos as obras que serão necessárias, como readequação e construção de pontes, contornos, trincheiras, trevos e alargamento e melhoramento de pistas”, explicou a coordenadora.

EMPRESAS – A Apre ficou responsável por identificar as questões técnicas que envolvem os materiais produzidos, como o volume transportado, quais tipos de madeira são escoados, área explorada e os equipamentos utilizados. As empresas ficarão responsáveis pelos projetos de engenharia e os técnicos do DER irão acompanhar as visitas de campo dos técnicos da Apre, para verificar o que será necessário no decorrer do projeto.

Até o fim do ano será assinado o termo de cooperação que identificará as responsabilidades de cada setor, como orçamento, obras e projetos que farão parte do programa.

SUCROALCOOLEIRO – Outro programa, que faz parte do Caminhos do Desenvolvimento, visa a criação de caminhos alternativos para melhorar as estradas utilizadas no escoamento de cana-de-açúcar. O Governo do Estado, em parceria com a Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), vai investir R$ 300 milhões para a modernização de estradas rurais utilizadas pelo setor sucroalcooleiro.

As ações envolvem a recuperação de 1.500 quilômetros de estradas municipais e a construção de 151 pontes e 49 trincheiras. Serão beneficiados mais de 1,5 milhão de paranaenses do Norte e Noroeste do Estado, de 75 municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *