Terror pode ter atacado Boston

FBI considera possibilidade de ataque terrorista em Boston

Agência Brasil

As explosões ocorridas ontem (15) durante a Maratona de Boston, nos Estados Unidos, deixaram pelo menos três mortos e mais de 100 feridos. O caso é investigado pelo FBI, a Polícia Federal norte-americana, que considera a possibilidade de terrorismo. O episódio provocou cenas de pânico e confusão em um dos maiores eventos esportivos do país. O governo prometeu investigar e punir os responsáveis.

Em pronunciamento na televisão, o presidente norte-americano, Barack Obama, prometeu encontrar e punir os responsáveis pelo ataque, sejam eles indivíduos ou grupos organizados. “Nós ainda não sabemos quem fez isso ou o porque. As pessoas não devem tirar conclusões”, disse ele. “Nós descobriremos quem fez isso. Descobriremos por que fizeram isso. Qualquer indivíduo ou grupo responsável sentirá o peso total da Justiça.”

Apesar de o FBI considerar a possibilidade de um ataque terrorista, Obama não usou o termo em suas declarações. Obama telefonou para o prefeito de Boston, Tom Menino, e para o governador de Massachusetts, Deval Pactrick, para oferecer ajuda do governo federal. A FAA, a agência que controla a aviação civil nos Estados Unidos, determinou uma zona de exclusão aérea na região das explosões.

Não há, por enquanto, confirmação sobre qual foi o artefato explosivo usado no atentado. A polícia encontrou uma terceira bomba, que foi neutralizada antes de fazer vítimas. Mais tarde, a polícia recebeu várias denúncias sobre objetos suspeitos. A polícia informou que as duas explosões na linha de chegada da maratona foram quase simultâneas.

Um incêndio foi registrado na Biblioteca Memorial JFK, nos arredores do centro de Boston, sem feridos. As autoridades norte-americanas disseram que estão investigando as explosões e o incêndio e que ainda não é possível dizer se os casos estão relacionados. A segurança foi reforçada em edifícios famosos de Nova York e Washington.

Há informações de que, pelo menos, oito vítimas sofreram amputações. Muitas teriam sido atingidos por pregos e parafusos, que teriam sido usados na confecção dos artefatos explosivos. Entre os mortos estaria uma criança, de 8 anos, que estava na linha de chegada à espera do pai, mas a informação não foi confirmada.

A Maratona de Boston é um dos maiores eventos anuais de atletismo dos Estados Unidos e atrai grande número de corredores, além de milhares de espectadores.

O terror

EUA vivem tensão após explosões em Boston. Ao menos duas bombas explodiram nesta segunda-feira, 15, em uma rua de Boston, nos EUA, na qual estava montada a linha de chegada de uma maratona organizada na cidade. Há ao menos dois mortos e 23 feridos, segundo a polícia de Boston. Esses números podem aumentar.

“Houve uma explosão. A polícia e o Corpo de Bombeiros estão no local.”, disse uma porta-voz da polícia de Boston. O comitê de organização da maratona, por meio de comunicado, disse que duas bombas explodiram perto da linha de chegada da corrida. “Estamos trabalhando com as autoridades para entender o que aconteceu”, diz o texto.

Segundo a agência Associated Press, outros dois dispositivos explosivos foram encontrados pela polícia e estão sendo desarmados.  De acordo com a Reuters, o hotel que funcionava como sede da maratona foi fechado após as explosões serem ouvidas e ninguém pode entrar ou sair do local.

O canadense Mike Mitchell, um dos participantes da maratona, disse ter visto uma “grande explosão”. “Todo mundo entrou em pânico”, disse.

Espectadores ensanguentados foram levados para tendas de atendimento médico próximas montadas para atender os corredores fatigados pela maratona.  “Há muita gente no chão”, disse um corredor à Associated Press.

As explosões ocorreram cerca de três horas depois de o primeiro colocado concluir a maratona. Uma forte explosão, seguida de outra segundo depois , foi ouvida na rua Boylston.

Como medida de precaução, a polícia de Nova York aumentou a segurança em locais turísticos em resposta às explosões em Boston. Veículos da unidade de contraterrorismo estão nas ruas de Manhattan.

O presidente Barack Obama já foi informado do incidente e acompanha os desdobramentos.

Com agências internacionais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *