E o gás de cozinha só sobe

A Petrobras informou que decidiu reduzir os preços de comercialização às distribuidoras do GLP (gás liquefeito de petróleo) destinado aos usos industrial e comercial, no percentual médio de -4,6% e vigência a partir de amanhã (6). Porém, para o consumidor doméstico, não há boa notícia.

A alteração mostra-se necessária devido à queda das cotações internacionais do produto, que reflete a proximidade do fim do inverno na Europa, com o consequente arrefecimento da demanda pelo derivado.

A Petrobras esclarece que a correção não se aplica aos preços de GLP destinado ao uso residencial, comercializado pelas distribuidoras em botijões de até 13 kilogramas (kg), conhecido como gás de cozinha. E aí a população chamada de baixa renda continua pagando caro pelo GLP. Diferentemente do que ocorre em vários países da América Latina. E até na Europa e Estados Unidos.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou, em nota, que suas empresas associadas foram comunicadas pela Petrobras na tarde de hoje sobre queda no preço do GLP empresarial para embalagens acima de 13 kg. De acordo com as informações que as distribuidoras receberam da Petrobras, a redução será entre 4,2% e 4,9%, dependendo do polo de suprimento.

O Sindigás reforça que falta ainda uma política de preços para o GLP empresarial, o que faz persistir a diferença de preços entre o GLP residencial e o empresarial e, ainda, o ágio cobrado pela Petrobras em relação ao preço praticado no mercado internacional para o produto. Ou seja, para o consumidor assalariado, que já não cozinha mais com lenha há algum tempo, a penúria continua.

O sindicato que representa empresas calcula que o valor do GLP empresarial, destinado aos setores do comércio e da indústria, ficará 32,82% acima da paridade de importação e 35,20% mais caro em relação ao gás comercializado em embalagens de até 13 kg. Para defender a população talvez seja necessária uma provocação ao Ministério Público. Com tanta roubalheira na Petrobras, envolvendo politicos e empresários, aparentemente a política em prática atualmente desconsidera completamente o consumidor, seja de combustíveis ou GLP.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com Ag. Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *