Combustível teve alta em 2012

Pesquisa do Procon Londrina revela aumento no preço do etanol e diesel; preço da gasolina não sofreu alteração

O Procon de Londrina divulgou hoje (24), a primeira pesquisa sobre o preços de combustíveis em 2012. Ao todo, foram consultados novamente 105 estabelecimentos comerciais. No geral, houve um amento no preço do etanol (álcool) e do óleo diesel, se comparada com a última pesquisa, realizada em novembro de 2011.

Segundo a pesquisa, quanto aos preços máximos praticados, houve uma variação no preço do etanol de -0,48%, atingindo valor de R$ 2,10, o que corresponde a uma queda de R$ 0,1 centavo. O mesmo aconteceu com a gasolina, que também teve uma queda de R$ 0,2 centavos e variação de -0,69%. Já o diesel não registrou alteração.

Quanto à variação no preço mínimo, a gasolina ficou na casa de -2,45%, ou seja, registrou uma queda no importe de R$ 0,6 centavos. Isso significa que o preço passou de R$ 2,45 para R$ 2,39. Assim como a gasolina, o óleo diesel também teve uma redução no valor de R$ 0,2 centavos (-1,09%). Desta vez, quem não apresentou variação foi o etanol.

Na média apurada, foi constatado aumento de R$ 0,1 centavo, o que corresponde a 0,49%, no preço do etanol. A gasolina não sofreu alteração. Diferentemente do diesel, que variou 1,53%, ou seja, aumento de R$ 0,3 centavos, passando de R$ 1,95 para R $1,98.

O coordenador do Procon-Londrina, Carlos Neves Junior, destacou a importância da pesquisa, que tem o objetivo de beneficiar o cidadão londrinense. “Procuramos fazer essa pesquisa, mensalmente, ou, em caso de alternância de preço. A pesquisa tem caráter informativo, quanto aos preços, além de proporcionar um maior respaldo nas futuras fiscalizações”, afirmou.

Do total dos estabelecimentos comerciais, três postos se recusaram a fornecer informações; 11 estavam com o telefone desativado ou incorreto, sete não atenderam a ligação e apenas um estava desativado temporariamente. A pesquisa completa pode ser consultada no site www.londrina.pr.gov.br/procon, especificamente no setor de pesquisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *