Chuva continua forte no Rio

Ministro alerta para continuidade de chuva forte no Rio de Janeiro

Isabela Vieira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, alertou hoje (5) o governo fluminense para a continuidade das chuvas fortes no estado. Elas deverão afetar principalmente as regiões norte, noroeste, serrana e metropolitana. As informações foram dadas pelo ministro após reunião com o governador Sérgio Cabral.

Durante o encontro, na capital fluminense, Bezerra disse que a Defesa Civil estadual deve permanecer mobilizada para evitar perdas de vidas e minimizar danos materiais. As chuvas dos últimos dias já deixaram cerca 30 mil pessoas desalojadas e 2 mil desabrigadas em nove municípios.

“O principal objetivo [da reunião com o governador] foi de fato chamar atenção da Defesa Civil do Rio para esse período mais crítico de chuvas que estamos enfrentando e afeta, sobretudo, o estado fluminense, Minas Gerais e o Espírito Santo”, declarou Bezerra. De acordo com ele, um grupo de monitoramento foi instalado desde o início do ano nesses estados.

Durante o encontro, Sérgio Cabral disse que as informações trazidas pelo ministro “a respeito dos próximos dias são preocupantes” e chamou a atenção dos prefeitos. “Vai chover muito no estado, vai chover muito na região serrana, vai chover muito no norte, no noroeste, vai chover muito na região de Minas [Gerais] de onde as águas vêm afetar nossas cidades”, disse.

O governador também aproveitou o encontro com o ministro da Integração para apresentar rês projetos para obras em rios que passam pelo estado, no total de R$ 950 milhões. O principal deles, de R$ 40 milhões, é no Rio Muriaé, cuja a cheia afetou o município de Campos dos Goytacazes, onde a Rodovia BR-356, que funcionava como um dique, se rompeu, obrigando a retirada de quatro mil pessoas da área atingida pela água.

O projeto do Rio Muriaé, em Laje do Muriaé, somado aos demais, atenderão aos [municípios de] Itaperuna, Cardoso Moreira, Italva”, disse Cabral. “Com isso, resolveremos um problema nacional porque, na verdade, o rio enche [com as chuvas] em Minas”, completou.

Fernando Bezerra informou que, para 2012, a pasta quer investir mais em prevenção de desastres e vai priorizar os estados de Minas, do Espírito Santos e Rio de Janeiro. “Estamos recolhendo solicitações de projetos, sobretudo desses três estados, que entrem no orçamento deste ano”. Segundo ele, quando completos, os projetos são analisados pela pasta entre 60 e 90 dias.

Durante entrevista à imprensa, Cabral ainda prestou contas dos cerca de R$ 150 milhões que o governo federal liberou para o estado, em 2011, após a tragédias das chuvas. Disse que do total, R$ 70 milhões foram para o pagamento de aluguel social a sete mil famílias desabrigadas e o restante, “está disponíveis na conta” para reconstrução de 73 pontes destruídas pelas enchentes. “A licitação será feita até o final de janeiro”, declarou o governador. Segundo ele, por advertência técnica, os projetos das pontes estão sendo finalizados.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *