Chaves morre e deixa uma geração órfã

Um personagem criado no México pela TV conquistou gerações por vários países e hoje enluta a milhões de pessoas ao redor do mundo. O criador desse fenômeno televisivo que, a partir do México, se espalhou pelo continente e conquistou legiões de fãs em vários países, o humorista mexicano Roberto Gomez Bolaños, autor e intérprete dos personagens Chaves e Chapolin, morreu nesta sexta-feira, aos 85 anos. Com a saúde fragilizada há mais de uma década, Bolaños passou os seus últimos anos em uma cadeira de rodas, lutando contra problemas respiratórios e complicações de diabetes.

A morte de Bolaños deixa órfã essa geração de brasileiros que cresceu assistindo aos episódios de Chaves, a sua principal criação, reprisados exaustivamente pelo SBT ao longo dos últimos trinta anos. Um grupo de admiradores fiel que, ignorando todas as limitações técnicas da produção, sempre garantiu ótimos resultados de audiência ao programa mexicano – e sempre mostrou um impressionante poder de mobilização a cada ameaça de cancelamento das exibições do seriado, com campanhas fora e dentro das redes sociais. Nesta sexta, com a notícia da morte do humorista, a direção do SBT já estuda levar ao ar um especial para homenageá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *