• 23/04/2018

    Anvisa autoriza novos “Genéricos”

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deu aval para a comercialização de quatro novos medicamentos genéricos. A autorização foi publicada na edição desta segunda-feira (23) do Diário Oficial da União (DOU). Um deles é o Entricitabina combinado com Fumarato de Tenofovir Desoproxila, produto usado para o tratamento de pessoas que contraíram o vírus HIV. O medicamento de referência é o Truvada, cujas indicações incluem a profilaxia pré-exposição (PReP), usada para reduzir o risco de infecção pelo vírus adquirido sexualmente em adultos de alto risco. No Brasil, a detentora do registro é a Blanver Farmoquímica e Farmacêutica S/A.

    Outro produto genérico inédito com registro aprovado pela Anvisa é o Perindopril Erbumina combinado com Indapamida, indicado para o tratamento da hipertensão arterial (pressão alta), que acomete uma a cada quatro pessoas adultas, segundo dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH). A empresa detentora do registro no país é a  EMS S/A.

    Remédios genéricos
    Medicamentos genéricos devem ser ao menos 35% mais baratos – Arquivo/Agência Brasil

    Entre os produtos aprovados pela Anvisa, está também o genérico inédito Bilastina, indicado para o tratamento sintomático de rinoconjuntivite alérgica (intermitente ou persistente) e urticária. A empresa detentora do registro é a EMS S/A. A Anvisa ainda autorizou a venda do medicamento genérico Undecilato de Testosterona. Esse produto é usado em terapias de reposição de hormônio sexual em homens que apresentam hipogonadismo primário e secundário (doença que faz com que homens produzam pouca testosterona). A detentora do registro desse medicamento no Brasil é Eurofarma Laboratório S/A.

    Preço

    Pela legislação brasileira, o medicamento genérico deve ser disponibilizado no mercado com um desconto de, pelo menos, 35% em relação ao preço máximo da tabela da Anvisa. Somente em 2016, foram comercializadas 1,46 bilhão de embalagens de genéricos no Brasil. Essa quantidade representou 32,4% de todas as vendas efetuadas no ano, de acordo com informações da segunda edição do Anuário Estatístico do Mercado Farmacêutico 2016, lançado do pela Anvisa em 2017.





    19/04/2018

    Jornalistas aguardam proposta patronal

    A mesa de negociação para tratar da campanha salarial 2018 não teve o desfecho esperado pelos jornalistas. Ao longo de aproximadamente uma hora e meia de reunião, os representantes patronais não apresentaram proposta para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) aos sindicatos dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) e do Norte do Paraná.

    Na mesa desta quinta-feira (19), os representantes dos jornalistas reafirmaram a proposta da categoria de reajuste salarial de 7,5%. O percentual inclui a previsão de inflação (maio de 2017 a abril 2018), a reposição salarial do retroativo de 2016 e aumento real. Outras pautas, como vale-alimentação, vale-transporte e equipamentos de segurança, também foram levadas à mesa.

    Segundo os sindicatos patronais, a proposta oficial será encaminhada aos jornalistas até o dia 27 de abril. Até aqui, as empresas abordaram apenas temas pontuais da CCT, como alteração na cláusula do anuênio com a vinculação de um programa de participação nos resultados.

    Danilo Marconi, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Norte, espera que a proposta patronal respeite as reivindicações dos trabalhadores “e não imponha retrocessos aos jornalistas”.

    Para o diretor-presidente do SindijorPR, Gustavo Vidal, o fato de os patrões não apresentarem proposta reforça a necessidade de mobilização da categoria. “Todos precisam estar atentos à negociação. Com jornalistas mobilizados nas redações e locais de trabalho temos muito mais força para negociar nas mesas e enfrentar as propostas dos empresários”, alerta.

    Autor:Flávio Augusto Laginski

    Fonte:SindijorPR





    12/04/2018

    Novo mínimo deve ir a R$ 1.002

    Wellton Máximo e Paulo Victor Chagas – Repórteres da Agência Brasil
    Brasília - O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, fala à imprensa após reunião do presidente Michel Temer com a nova equipe ministerial, no Palácio do Planalto (Antonio Cruz/Agência Brasil)
    O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, falou à imprensa após reunião do presidente Michel Temer com a nova equipe ministerial, no Palácio do Planalto

    Antonio Cruz/Agência Brasil

     

    Pela primeira vez, o valor do salário mínimo ultrapassará R$ 1 mil. O governo propôs salário mínimo de R$ 1.002 para o próximo ano, o que representa alta de 5% em relação ao atual (R$ 954). O valor consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2018, apresentado hoje (12) pelos ministros do Planejamento, Esteves Colnago, e da Fazenda, Eduardo Guardia.

    Em 2019, a fórmula atual de reajuste será aplicada pela última vez. Pela regra, o mínimo deve ser corrigido pela inflação do ano anterior medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) de dois anos anteriores.

    Em 2017, o PIB cresceu 1%. Para a estimativa de inflação, o governo considerou a previsão de 4% para o índice de inflação que consta do Boletim Focus, pesquisa com mais de 100 instituições financeiras divulgada toda semana pelo Banco Central.

    A LDO define os parâmetros e as metas fiscais para a elaboração do Orçamento do ano seguinte. Pela legislação, o governo deve enviar o projeto até 15 de abril de cada ano. Caso o Congresso não consiga aprovar a LDO até o fim do semestre, o projeto passa a trancar a pauta.





    10/04/2018

    Londrinense assume Secretaria de Educação

    A governadora Cida Borghetti anunciou nesta terça-feira (10) que a nova secretária de Estado da Educação é Lúcia Aparecida Cortez Martins. Ela deixa a chefia do Núcleo Regional de Educação de Londrina, do qual esteve à frente durante sete anos. Funcionária da secretaria desde 1988, antes lecionou e dirigiu o Colégio Estadual Albino Feijó Sanches.

    O Núcleo de Londrina é um dos maiores do Estado – inclui 122 escolas e 100 mil matrículas. “Assumo a secretaria com a consciência de que sozinha não é possível fazer nada. Preciso do apoio de cada professor, de cada servidor e dos pais. Nosso objetivo é proporcionar aos professores a oportunidade de crescerem profissionalmente e assim atingir nosso objetivo maior: uma educação de qualidade para os nossos alunos”, afirmou a nova secretária.

    A governadora Cida Borghetti agradeceu a Ana Seres, que deixa o cargo, pelos serviços prestados à educação do Paraná e disse que a principal meta da nova gestão é aumentar a nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) das escolas paranaenses. “Nosso compromisso é com os professores e com as famílias, para que possamos educar nossas crianças e prepará-las para um futuro melhor”, disse.

    “Agradeço a confiança em mim depositada pelo governador Beto Richa e à minha equipe de trabalho. A governadora não poderia ter feito escolha melhor para ocupar este posto. Deixo a secretaria em boas mãos e com a certeza de ter organizado e estruturado melhor a casa, agora mais coesa e ajustada”, afirmou Ana Seres.





    09/04/2018

    Facebook alerta sobre dados de usuários

    Jonas Valente – Repórter da Agência Brasil

    Quase meio milhão de usuários do Facebook no Brasil tiveram seus dados coletados e repassados irregularmente à empresa de consultoria e marketing digital Cambridge Analytica, com base no Reino Unido. A plataforma anunciou que enviaria hoje (9) mensagem aos internautas envolvidos no vazamento com informações sobre o ocorrido.

    Segundo a assessoria de Facebook no Brasil, as pessoas cujos dados foram vazados receberão uma mensagem na linha do tempo (newsfeed) contendo um link no qual poderão saber quais informações foram coletadas e de que maneira estas foram utilizadas.

    Vazamento

    Os dados foram vazados para a empresa Cambridge Analytica por um desenvolvedor que usou um aplicativo de teste de personalidade para acessar os dados. Essas informações teriam sido usadas pela consultoria britânica para influenciar eleições em diversos países.

    Reportagens publicadas nos jornais New York Times (EUA), The Guardian (Reino Unido) e no canal de TV britânico Channel 4 (Reino Unido) divulgadas em março trouxeram a denúncia de um ex-funcionário relatando como os dados foram trabalhados pela firma para influenciar eleições, em especial o pleito dos Estados Unidos de 2016.

    Na matéria da emissora de TV, dirigentes da empresa relatam que começariam a atuar no Brasil. A companhia firmou parceria com a Agência Ponte. Contudo, em março, a Ponte informou que não renovou o contrato com a consultoria.

    Vítimas no mundo

    No último dia 4 de abril, o diretor de tecnologia do Facebook, Mike Schroepfer, publicou mensagem no site da plataforma na qual afirmou que o número de pessoas atingidas chegaria a 87 milhões, bem maior do que os 50 milhões informados pelas reportagens detonadoras do escândalo.

    A maioria (70,6 milhões) é formada por cidadãos dos EUA, mas o vazamento também incluiu 1,1 milhão de pessoas das Filipinas, 1 milhão da Indonésia, 1 milhão do Reino Unido, 789 mil do México, 622 mil do Canadá, 562 mil da Índia e 443 mil do Brasil.

    Questionada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa do Facebook afirmou que a resposta da empresa abrange a notificação dos usuários envolvidos no vazamento e medidas para reduzir riscos e aumentar o controle das pessoas sobre as informações usadas por aplicativos.

    Medidas

    Hoje (9), o Facebook anunciou a inclusão da exigência de identificação e localização de quem desejar pagar por anúncios políticos. Essa verificação deverá ocorrer também no caso de “grandes páginas”, embora a companhia não tenha detalhado o critério para enquadrar a categoria. Outra nova funcionalidade criada será a possibilidade de os usuários verem os anúncios presentes e passados de uma página.

    No dia 6 de abril, o vice-presidente de anúncios do Facebook, Rob Goldman, publicou no site da empresa outras medidas para os anúncios. Uma delas é a implantação de uma identificação da mensagem como “anúncio político” e o registro do quem pagou pelo por ele.

    Esses mecanismos estão sendo testados nos Estados Unidos e no Canadá inicialmente. Segundo o presidente da empresa, Mark Zuckerberg, a verificação de páginas será expandida para o restante do mundo “nos próximos meses”. De acordo com a assessoria da empresa no Brasil, ainda não há garantia de que essas e outras medidas, parte das chamadas “diretrizes de anúncios”, serão implementadas no Brasil antes das eleições.

    A empresa já havia anunciado, dias atrás, recursos para facilitar a percepção dos usuários sobre quais as configurações de segurança e aplicativos autorizados por estes a coletar dados e que usos estes programas fazem destas informações. Uma nova funcionalidade facilitou para usuários a maneira de baixar os registros que a plataforma possui deles.

    O diretor de tecnologia da companhia, em sua publicação no dia 4 de abril, disse também que o acesso destes aplicativos ao que é feito na plataforma foi dificultado no caso de eventos, grupos e páginas. Ele acrescentou que o acesso a ligações e mensagens (uma opção dos aplicativos baixados no celular) também será restringido.

    Investigação

    O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu um procedimento de apuração para avaliar o caso e os impactos a usuários brasileiros. A decisão havia sido tomada antes da confirmação de que o vazamento incluiu informações de 443 mil brasileiros. No documento de instauração do inquérito, o MPDFT aponta o episódio como um “tratamento ilegal de dados”.

    Investigações foram abertas também nos Estados Unidos. Amanhã (10), o presidente da empresa vai depor em audiências no Congresso dos Estados Unidos. Ele também foi convocado pelo Parlamento Britânico.

    Ausência de proteção

    Para a advogada Flávia Lefévre, especialista em direito digital e integrante do Comitê Gestor da Internet no Brasil, o vazamento dos dados de brasileiros foi ilegal, contrariando o Marco Civil da Internet (Lei 12.965, de 2014) e o Decreto 8.771, de 2016, que restringem provedores de aplicativos de repassar dados dos usuários a terceiros.

    De acordo com a especialista, a investigação em curso pelo Ministério Público é importante para verificar os danos aos usuários envolvidos. A depender do que pode ser constatado, o Facebook pode ser multado pela violação da legislação da área e também com base no Código de Defesa do Consumidor.

    Contudo, a advogada diz que o episódio evidencia a falta de proteção dos internautas brasileiros pela inexistência de uma legislação para a área de privacidade. “Estamos muito vulneráveis pelo fato de não termos uma lei de proteção de dados pessoais e de não termos uma entidade com competência para fiscalizar a atividade de coleta, tratamento e transferência de dados pessoais”, alerta. Projetos de lei sobre o tema tramitam no Congresso, mas sem perspectiva de aprovação.





    06/04/2018

    Londrinense entrega governo a maringaense

    Sai Londrina, entra Maringá. O interior do Paraná  continuará à frente do governo estadual. A governadora Cida Borghetti tomou posse nesta sexta-feira (06/04) e reforçou que vai administrar o Estado com harmonia, unidade e humildade. Ela disse que a condução do governo será pautada pelo rigor técnico, a disciplina legal, a responsabilidade fiscal, honestidade intelectual e a idoneidade moral. “Com esta diretriz, todo o resto se torna mais fácil para quem faz e transparente para a sociedade”, sustentou.

    Segunda mulher a ocupar o Governo do Estado, Cida disse, que a tarefa é dar continuidade e aperfeiçoar as ações da gestão. “Trabalhamos muito para transformar o Paraná e vamos buscar os melhores índices de prestação de serviços e indicadores de governança”, disse ela. “Estamos no meio de um trabalho, não no fim”, afirmou ela na solenidade de transmissão do cargo, realizada no saguão principal do Palácio Iguaçu, em Curitiba, e que reuniu mais de 2,5 mil pessoas.

    No seu primeiro pronunciamento como chefe do Poder Executivo do Paraná, Cida reafirmou compromissos assumidos em 2014, como vice-governadora da gestão de Beto Richa, e destacou metas de governo. “Estou bem consciente das expectativas que acompanham minha posse como primeira mulher a governar o Paraná. Por isso, reafirmo o compromisso de manter, continuar e aperfeiçoar tudo o que o Paraná tem, e de construir o que ainda não tem”, declarou.

    Ela ressaltou que fará uma gestão municipalista e pautada pelo apoio mútuo entre governo e sociedade. “Vamos administrar buscando o equilíbrio para cada demanda e cada situação. O bom governo é aquele que exerce a autoridade com celeridade, justiça e responsabilidade”, disse. “Reafirmo o compromisso de realizar um governo municipalista, focado no apoio a todas as cidades, porque é lá que as pessoas vivem”.

    RECONHECIMENTO – O Paraná, disse Cida, é hoje um exemplo para o País, pelas finanças equilibradas e contas em dia. Ela afirmou que, a exemplo de seu antecessor, as medidas continuarão em vigor no Estado. “Beto Richa teve atitude de estadista ao colocar o futuro do Paraná acima dos interesses pessoais e políticos. Sabemos que há muito a ser feito e que sempre haverá espaço para melhorar o que já foi feito”, afirmou Cida.

    SEGURANÇA – Para o prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wosniak, a mudança de governo se dá de forma tranquila para o Estado. “O Paraná está em seu melhor momento e a governadora contribuiu com a tomada de decisões que levou o Estado a esse patamar. Os municípios estão seguros quanto a continuidade do bom trabalho”, disse.

    O sentimento é compartilhado pelo prefeito de Barra do Jacaré. “Um governo não é possível sem um vice e a Cida Borghetti sempre esteve presente nos municípios. Temos certeza de que os projetos serão continuados e aprimorados”, afirmou.

    SECRETARIADO – Na solenidade de posse foram nomeados novos secretários de Estado. Silvio Barros, irmão do deputado e marido da governadora, Ricardo Barros, fica à frente da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e assume interinamente a chefia da Casa Civil. A chefia de gabinete será ocupada por Lucília Felicidade Dias. A Secretaria da Saúde será ocupada por Antônio Carlos Nardi.

    A coronel Audilene Rosa de Paula Dias assume o Comando-Geral da Polícia Militar, substituindo ao coronel Maurício Tortato, que passa a chefiar a Casa Militar. O novo chefe do Estado-Maior será o coronel Elio de Oliveira Manoel.

    Antenor Ribeiro – Destaknews

    Com AEN





    04/04/2018

    Supremo nega HC de Lula

    Supremo retoma votação do HC da defesa de Lula

    O Supremo Tribunal Federal (STF) retomou hoje (4) o julgamento do habeas corpus no qual a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenta impedir a prisão após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça Federal. Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a nove anos e seis meses de prisão e pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), que aumentou a pena para 12 anos e um mês na ação penal do triplex do Guarujá (SP), na Operação Lava Jato.

    O julgamento do habeas corpus no STF teve início no dia 22 de março, mas a sessão foi interrompida na Corte. Com isso, o ex-presidente ganhou um salvo-conduto para não ser preso até a decisão desta tarde.

    Com os dois primeiros votos, de Edson Facchin e Gilmar Mendes, observou-se a divisão do Supremo, com empate em 1 a 1. Gilmar Mendes, de certa forma, contraria uma posição anterior, quando do julgamento do mérito da prisão após julgamento em segunda instância, quando manifestou voto favorável à esta prática. Ao conceder HC para Lula permanecer em liberdade, mesmo após condenação pelo TRF4, contradiz parte do que defendia anteriormente.

    Alexandre de Moraes foi o terceiro ministro a votar e negou o HC à defesa do ex-presidente condenado, dizendo entender que há 11 anos o Supremo adota a prática de aprovar prisão após julgamento em segunda instância.

    Brasília – Supremo Tribunal Federal, julga pedido de habeas corpus do ex-presidente Lula (José Cruzr/Agência Brasil)

    Luiz Roberto Barroso e Rosa Weber acompanharam o relator e negaram voto ao HC favorável a  Lula. Após este placar de 4 x 1 contra o pretendido pela defesa do ex-presidente condenado, a Ministra Presidente do Supremo, Carmen Lúcia, sugere uma pausa para cafezinho.

    O julgamento prosseguirá após a pausa para o café em Brasília.

    No retorno do julgamento chegou a vez do Ministro Luiz Fux, que foi breve em sua explanação, comparativamente com os ministros que o antecederam. E votou contra a concessão do HC solicitado pela defesa de  Lula, deixando o placar em 5 x 1. Logo após o Ministro Dias Tóffoli passou a fazer sustentação do seu voto, demonstrando que deve defender a concessão do Habeas Corpus, entendendo que “ninguém pode ser considerado culpado até o trânsito em julgado da sentença”. Esta citação já foi referida por outros ministros, como sendo rejeitada em praticamente todo o mundo, onde nenhum outros país a pratica.

    O Ministro Dias Tóffoli acompanhou o voto de Gilmar Mendes, entendendo que o ex-presidente Lula deve ser beneficiado com um Habeas Corpus que lhe garanta o recurso cabível no STJ. Apesar de tecer comentários jurídicos com citação de mestres do direito, o ministro Tóffoli deixou claro desde o início de seu pronunciamento que não negaria o pedido da defesa do ex-presidente Lula.

    Com o placar de 5 x 2, passou a votar o ministro Ricardo Lewandowski. Ao final do seu voto, concedeu o HC ao ex-presidente, para que aguarde em liberdade um possível recurso ao STJ.

    O placar fica em 5 x 3 e o ministro Marco Aurélio de Mello passa a explanar seu voto. Porém, em apartes feitos, Marco Aurélio já parece ter deixado claro que concederá o remédio pedido pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Com o voto do Ministro Marco Aurélio de Mello favorecendo o paciente do HC, ficou para Celso de Melo o voto que empataria a votação. Após uma longa explanação de seus pensamentos, o ministro deixou a votação em 5 x 5.

    Coube à Presidente do Supremo, Carmen Lúcia, exarar o voto que decidiu a questão, negando o Habeas Corpus à defesa do ex-presidente. Dessa forma, também a liminar concedida anteriormente foi extinga e caberá ao TRF4, observados todos os procedimentos cabíveis por parte da defesa, encaminhar ao Juiz Sérgio Moro o resultado do julgamento, que possibilitará a emissão de Ordem de Prisão para o condenado.

     

    Antenor Ribeiro – Destaknews

    Com Ag. Brasil





    03/04/2018

    Duplicação da PR 445 será liberada

    O governador Beto Richa assinou nesta terça-feira (03), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, as ordens de serviço para um conjunto de obras rodoviárias que somam R$ 234 milhões. Os projetos incluem a duplicação da Rodovia dos Minérios (PR-092), na Região Metropolitana de Curitiba; a revitalização da Avenida Bento Rocha e a construção de um viaduto na BR-277, em Paranaguá; a duplicação do trecho urbano da PR-466, em Guarapuava. Também foi autorizada a licitação para construção de um viaduto em Foz do Iguaçu.

    O conjunto de obras também abrange a duplicação da PR-445 entre Londrina e Irerê, que será liberada nesta quarta-feira (04), em Londrina. “Trabalhamos há anos por essas obras, que são importante para a infraestrutura do Estado e aguardadas pela população. Hoje elas são uma realidade e estão asseguradas”, disse Richa. “São grandes investimentos, que contribuem vigorosamente com o desenvolvimento do Paraná e o bem-estar dos paranaenses”, afirmou.

    Richa destacou a duplicação da Rodovia dos Minérios, ligando a capital a Almirante Tamandaré e Itaperuçu, que é aguardada há décadas e que, na Grande Curitiba. Segundo ele, esta obra se soma à duplicação da Rodovia João Leopoldo Jacomel (entre a capital, Pinhais e Piraquara), a modernização da Estrada do Cerne, em Campo Magro, eentre outros investimentos na região.

    Além de mais segurança à população, os investimentos em infraestrutura, enfatizou o governador, formam uma das bases da política de desenvolvimento econômico do Paraná. “A infraestrutura é essencial para atração de investimentos produtivos, que geram empregos e movimentam a economia. Além de rodovias, investimos no Porto de Paranaguá, em energia e saneamento”, disse ele.

    DESCONTOS – Segundo o secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, o desconto dado pelas empresas vencedoras das licitações resulta em uma economia de mais de R$ 80 milhões nestas obras. “O grande volume de obras no Estado, os recursos já assegurados e o pagamento em dia são um diferencial”, disse ele.

    “As empresas têm dado bons descontos porque a realidade o País é muito difícil, há poucas obras. O Paraná, que concentra as grandes obras, se beneficia com a concorrência, o que permite que façamos mais obras com os recursos disponíveis”, explicou.

    RODOVIA DOS MINÉRIOS – A duplicação e ampliação da capacidade de tráfego da Rodovia dos Minérios era aguardada há mais de 30 anos pela população. A obra custará R$ 83,6 milhões (desconto de 26,6% em relação ao teto da licitação, de R$ 114 milhões).

    Serão duplicados de 4,7 quilômetros, entre a ponte sobre o rio Barigui, no Contorno Norte de Curitiba, e o perímetro urbano de Almirante Tamandaré. O trecho terá passarela, dois viadutos duplos e cinco novas pontes duplas. A previsão é que ela esteja pronta em dois anos.

    Além de minimizar o risco de acidentes, a duplicação vai facilitar o escoamento da produção local, como minérios, cimento, laranja e outros hortifrutigranjeiros, beneficiando diretamente os municípios de Curitiba, Almirante Tamandaré, Itaperuçu e Rio Branco do Sul.

    De acordo com o prefeito de Almirante Tamandaré, Gerson Colodel, cerca de 250 mil moradores serão beneficiados. “Além do tráfego dos moradores da região, o transporte de cargas, principalmente de minérios, é muito intenso. Esta duplicação é de fundamental importância, inclusive para diminuir o número de acidentes”, disse.

    A modernização faz parte de um convênio assinado pelo Governo do Estado com o Banco do Brasil, que prevê obras também em outro trecho de 1,6 quilômetro da Rodovia dos Minérios, no perímetro urbano de Almirante Tamandaré – investimento estimado de R$ 64 milhões. Este segundo projeto está sendo finalizado para o lançamento do edital de licitação, que deve acontecer no segundo semestre de 2018.

    PARANAGUÁ – Em Paranaguá, no Litoral do Estado, serão duas obras executadas com recursos da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). A revitalização da Avenida Bento Rocha inclui a recuperação do pavimento de concreto, readequação do sistema de drenagem, reconstrução de ciclovia e nova sinalização vertical e horizontal.

    Serão em 2,9 quilômetros de revitalização, entre a ponte do rio Emboguaçu até a interseção com a avenida Portuária. O teto da licitação era R$ 20,2 milhões, mas a empresa vencedora ofereceu R$ 15,9 milhões, desconto de 21,1%.

    Outra obra é a construção de um viaduto na entrada do município, na interseção da BR-277 com a Avenida Ayrton Senna. A estrutura terá 900 metros de extensão, seis metros de altura e 7,6 de largura. O investimento será de R$ 12,7 milhões, 19,2% menos do previsto inicialmente.

    O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, destacou que as obras vão desafogar o tráfego de caminhões que circulam no município. “O porto bate recordes todos os anos de movimentação de carga, mas a entrada da cidade é a mesma de 75 anos atrás. É o maior gargalo hoje do nosso município, porque o número de caminhões aumenta a cada ano”, disse.

    GUARAPUAVA – A duplicação de 3,4 quilômetros da PR-466 vai desafogar o trânsito do trecho urbano mais populoso de Guarapuava, que liga os bairros do Xarquinho e Primavera. A obra vai facilitar o acesso ao futuro Hospital Regional do Centro-Oeste, a maior edificação civil em andamento no Paraná, e deve ficar pronta em 18 meses.

    O projeto, financiado pelo Governo do Estado junto Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), prevê a construção de uma trincheira, melhorias nos acessos aos bairros, iluminação, ampliação das vias laterais, construção de passarelas, muro de contenção e calçadas. Os custos das obras será de R$ 26,9 milhões.

    FOZ DO IGUAÇU – O governador Beto Richa também autorizou a licitação para o viaduto Lyrio Bertoli, que será construído na BR-277 com a Avenida Costa e Silva, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado. O projeto foi doado pelo Fundo Iguaçu e ajustado por técnicos do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR). O orçamento da licitação é de R$ 20 milhões e o edital deve ser lançado ainda neste semestre.

    O Governador deve deixar o cargo no fim de semana para se candidatar ao Senado. A vice-governadora Cida Borghetti assumirá e pretende disputar a reeleição.

     

    AEN





    01/04/2018

    Mega-Sena acumula

    O prêmio do sorteio 2.027 da Mega-Sena, realizado com o caminhão da sorte em Canela (RS), acumulou. Ninguém acertou as seis dezenas e, com isso, o próximo sorteio tem prêmio previsto de R$ 40 milhões.

    Confira as dezenas sorteadas no dia 31 de Março: 11 – 15 – 29 – 37 – 39 – 44

    Os cinco números da quina tiveram 76 apostas ganhadoras, que levaram R$ 32.815,34 cada. Fizeram os quatro números da quadra 4.916 jogadores, que recebem R$ 724,73 cada.

    Cálculo do prêmio

    O valor arrecadado com o concurso da Mega-Sena não é totalmente revertido em prêmio para o ganhador. Parte do montante é repassada ao governo federal para investimentos nas áreas de saúde, educação, segurança, cultura e esporte.

    Além disso, há despesas de custeio do concurso, imposto de renda e outros, que fazem com que o prêmio bruto corresponda a 46% da arrecadação. Dessa porcentagem:

    • 35% são distribuídos entre os acertadores dos 6 números sorteados (sena);
    • 19% entre os acertadores de 5 números (quina);
    • 19% entre os acertadores de 4 números (quadra);
    • 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos 6 números nos concursos de final 0 ou 5.
    • 5% ficam acumulado para a primeira faixa – sena – do último concurso do ano de final zero ou 5.

    Não havendo acertador em qualquer faixa, o valor acumula para o concurso seguinte, na respectiva faixa de premiação.

    Os prêmios prescrevem 90 dias após a data do sorteio. Após esse prazo, os valores são repassados ao Tesouro Nacional para aplicação no FIES – Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.





    26/03/2018

    Londrinense deixará governo do estado

    O governador Beto Richa anunciou nesta segunda-feira (26) sua desincompatibilização do cargo no próximo dia 06 de abril. O comunicado foi feito em reunião administrativa com secretários e gestores de empresas, autarquias e outros órgãos do Estado, no Palácio Iguaçu. A vice-governadora Cida Borghetti assume o Poder Executivo a partir do dia 07 de abril.

    Richa fez um balanço da gestão, salientou o equilíbrio fiscal do Estado e agradeceu o apoio recebido de toda a equipe administrativa e dos deputados estaduais. “Tomo esta decisão com muita tranquilidade. Fizemos, e fizemos bastante”, afirmou. “Hoje, o Paraná dá exemplos ao Brasil. O País reconhece que as medidas adotadas aqui se revelaram muito bem-sucedidas”, disse.

    O governador citou evoluções em todas as áreas da administração estadual e reforçou o empenho da gestão para levar obras, programas e serviços aos 399 municípios paranaenses. “Alcançamos incomparáveis avanços. Como não me orgulhar de um governo que garantiu mais qualidade de vida para os paranaenses”, afirmou ele, citando dados que mostram a redução da pobreza e da miséria no Paraná nos últimos sete anos.

    “Saio de cabeça erguida, com a certeza de que cumpri a minha obrigação enquanto gestor público. Em todas as áreas, o Paraná merece destaque nacional”, prosseguiu Richa em sua explanação aos membros do governo, sustentando que este reconhecimento vem de instituições internacionais como a agência de classificação de risco Fitch e do grupo Financial Times. “O Paraná é um canteiro de obras e um dos estados mais competitivos do País”, disse o londrinense.

    SETORES – Richa também citou o fortalecimento das empresas estatais e autarquias, os recursos disponibilizados para obras em municípios, os programas de apoio à agricultura, os grandes investimentos em habitação e para a modernização da estrutura de saúde. Nesta área, destacou a instalação de bases aeromédicas, a redução da mortalidade materna-infantil, o incentivo financeiro para hospitais públicos e filantrópicos e o crescimento do número de transplantes.

    Na área de segurança, Richa lembrou que o Paraná tem a menor taxa de homicídios em uma década e também da maior contratação de policiais da história do Estado e da compra de 3 mil viaturas, além de armamento moderno e novas delegacias. Na educação, ressaltou que o Estado investe 36% das receitas no sistema público de ensino e quadruplicou recursos para a alimentação e transporte escolar.

    A infraestrutura, afirmou o governador, foi uma das áreas com grandes investimentos, que permitiu novos trechos de rodovias, contornos rodoviários em diversos municípios, 500 quilômetros de duplicações, e R$ 2,3 bilhões para a conservação de 12 mil quilômetros de estradas estaduais.

    Richa também salientou o programa de incentivos que atraiu R$ 43,5 bilhões em investimentos produtivos para o Paraná, gerando milhares de oportunidades de emprego. O governador enfatizou a relevância de programas nos setores de ciência, tecnologia e ensino superior, meio ambiente e cultura.

    “Saio com a consciência tranquila, ciente de que cumpri com meu papel”, afirmou Richa, agradecendo a confiança que recebeu da população paranaense e a boa parceria que formou com a sociedade”.

    CONTINUIDADE – A vice-governadora Cida Borghetti ressaltou que seu governo, que segue até dia 31 de dezembro, será de continuidade. “Fico muito seguro em deixar o governo nas mãos da Cida”, afirmou Richa. “O Paraná tem uma gestão pública eficiente e vamos dar continuidade a ela, ampliar as políticas públicas já existentes e seguir a mesma linha de trabalho”, afirmou.

    A vice-governadora disse que qualquer mudança de nomes no primeiro escalão será discutida com o governador Beto Richa e o grupo que administra o Paraná. “Estamos fazendo um governo sério e competente, com uma gestão austera e eficiente”, afirmou Cida Borghetti.

    PRESENÇA – A reunião de secretariado foi acompanhada pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, pelo líder do governo no legislativo estadual, deputado Luiz Claudio Romanelli, e por deputados estaduais da base.



 

 

Destak News - A melhor informação na Web.
© Copyright 2001-2014 DestakNews- Todos os direitos reservados