Brasileiros na lista de candidatos a Papa

No momento em que se aproxima o começo do conclave (assembleia que elegerá o papa), a imprensa italiana e internacional passa a divulgar os prováveis candidatos à sucessão do papa emérito Bento XVI. Com o voto secreto, guardado sob juramento, e a cédula queimada, as especulações em torno do nome aumentam. Na relação de candidatos há brasileiros, argentinos, colombianos, asiáticos, africanos, europeus, canadenses e norte-americanos.

No noticiário internacional, aparecem dois cardeais brasileiros – dom Odilo Pedro Scherer, de 63 anos, arcebispo de São Paulo, e dom João Braz de Aviz, de 65 anos, prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica no Vaticano e arcebispo emérito de Brasília.

A seguir, os nomes dos cardeais apontados como prováveis sucessores do papa emérito Bento XVI:

Peter Turkson, 64 anos (ganense) – chefe da Comissão de Justiça e Paz do Vaticano

Laurent Monsengwo Pasinya, 74 anos (congalês) – arcebispo de Kinshasa, no Congo

Luis Antonio Tagle, 57 anos (filipino) – arcebispo de Manila, nas Filipinas

Odilo Pedro Scherer, 63 anos, (brasileiro) – arcebispo de São Paulo

João Braz de Aviz, 65 anos (brasileiro) – prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica no Vaticano e arcebispo emérito de Brasília

Dario Castrillón Hoyos, 83 anos (colombiano) – presidente emérito da  Pontifícia Comissão Ecclesia Dei e prefeito da Congregação para o Clero

Jorge Bergolio, 76 anos (argentino) – arcebispo de Buenos Aires, capital argentina

Leonardo Sandri, 69 anos (argentino) – foi núncio apostólico na Venezuela e no México

Óscar Rodrígues Maradiaga, 70 anos (hondurenho) – arcebispo de Tegucigalpa, capital de Honduras, e presidente da Cáritas Internacional, que reúne organizações humanitárias ligadas à Igreja Católica Apostólica Romana

Grianfanco Ravasi, 70 anos (italiano) – presidente do Conselho da Pontifícia de Cultura

Angelo Scola, 71 anos (italiano) – arcebispo de Milão, na Itália. É defensor do diálogo entre muçulmanos e católicos

Péter Erdo, 60 anos (húngaro) – arcebispo de Budapeste, capital da Hungria

Marc Ouellet, 67 anos (canadense) – ex-arcebispo de Quebec, no Canadá, e prefeito da Congregação para os Bispos.

Marc Oullet, 69 anos (canadense) – presidente da Congregação dos Bispos

Carlo Maria Virgano, 72 anos (norte-americano) – núncio apostólico nos Estados Unidos

Charles Chaput, 68 anos (norte-americano) – arcebispo da Filadélfia, nos Estados Unidos

Timothy Dolan, 63 anos (norte-americano) – cardeal-arcebispo de Nova York, nos Estados Unidos

Começam reuniões prévias para escolher sucessor de Bento XVI

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

Brasília – No primeiro dia sem papa, os cardeais iniciam o processo informal das conversas prévias para a escolha de quem vai substituir Bento XVI, de 85 anos. A partir de hoje (1º), o decano (o mais antigo) do Colégio de Cardeais, Angelo Sodano, de 85 anos, começa a organizar a fase preliminar ao conclave. A primeira reunião de cardeais preparatória do conclave, que vai eleger o sucessor do papa, está marcada para segunda-feira (4). Mas ainda não é o começo da cerimônia de substituição.

A reunião foi confirmada pelo arcebispo de Nápoles (Itália), o cardeal Crescenzio Sepe. A partir desta primeira reunião de cardeais é possível anunciar a data de início do conclave, segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. A estimativa é que o rito comece no final da próxima semana. O prazo é dado para que todos os cardeais, que são eleitores, estejam presentes no Vaticano.

Em 25 de fevereiro, às vésperas de deixar o pontificado, Bento XVI autorizou a antecipação do conclave, por intermédio do documento denominado motu próprio (por iniciativa própria). Tradicionalmente o Vaticano determina que o conclave comece no período de 15 a 20 dias, depois do início da sé vacante – expressão que designa que o lugar do papa está vago. A finalidade é permitir que todos os cardeais estejam presentes na eleição do sucessor e guardem o luto – em geral o papa é escolhido quando há morte daquele que está no pontificado.

Do latim, a palavra conclave significa com chave e é a reunião na qual os cardeais, que votarão na eleição para o novo papa, ficam enclausurados até a definição do sucessor. O grupo de eleitores é mantido isolado, sem contato externo. Há toda uma supervisão e um esquema de segurança para que isso ocorra. Do total de 209 cardeais, 115 estão aptos a votar.

Os cardeais que votam são aqueles que têm menos de 80 anos, dos quais cinco são brasileiros. Podem faltar apenas aqueles que justificarem a ausência ao Vaticano. O voto é manual e individual. Os cardeais escrevem a mão, em um papel retangular, o nome do escolhido, sendo que são orientados a disfarçar a letra. O papel é dobrado duas vezes e depositado em uma urna que fica no altar.

Não há prazo definido para o período de conclusão do conclave. A eleição do novo papa só ocorre se houver dois terços favoráveis do total de eleitores presentes. É possível fazer até 33 eleições. Caso não ocorra consenso, após esse número, é feita a eleição entre os dois mais votados.

Ex-papa

Ao chegar à residência apostólica de verão, em Castel Gandolfo, a cerca de 30 quilômetros de Roma, o papa Bento XVI agradeceu aos fiéis pela simpatia e afeto com que o receberam na cidade. Depois de lembrar que seria chefe da Igreja Católica somente até as 20h (14h em Brasília), Bento XVI disse: “Sou simplesmente um peregrino que inicia a última etapa de sua peregrinação nesta terra.”

Ele acrescento, porém, que, com seu amor, orações, reflexões e com suas forças interiores, pretende continuar trabalhando pelo bem comum e pelo bem da Igreja e da humanidade. Em seguida, emocionado, concedeu a bênção apostólica aos presentes.

Procedente do Vaticano, Bento XVI chegou a Castel Gandolfo às 17h23 (hora local) e foi acolhido ao som dos sinos da Diocese de Albano Laziale. O papa havia deixado o Vaticano de helicóptero às 17h07, também ao som de sinos e dando uma volta sobre a Praça São Pedro, lotada de fiéis que foram se despedir dele. O helicóptero sobrevoou o Coliseu e a Basílica de São João de Latrão, sede da Diocese de Roma, com imagens transmitidas pelo Centro de Televisivo Vaticano.

Bento XVI, de 85 anos, permanecerá na residência de Castel Gandolfo por cerca de dois meses. Em seguida, retornará ao Vaticano como papa emérito e residirá no Mosteiro Mater Ecclesiae, que está sendo restaurado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *