Ainda tem muito carro novo com preço velho

Quem não comprou um carro zero quilômetro, antes do fim da redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), ainda pode adquirir automóvel sem reajuste. Algumas concessionárias ainda têm estoques de carros comprados em 2014, e mantêm para os consumidores o preço com a redução da alíquota, apesar de a desoneração haver terminado no primeiro dia de 2015.

Nas quatro concessionárias do Distrito Federal, visitadas pela Agência Brasil na manhã de hoje (3), todas informaram que têm automóveis faturados pelo preço antigo e devem manter os valores até zerar o estoque.

A supervisora de vendas da Concessionária Renault Tecar, Keila de Queiroz, disse que a expectativa é que até o final de janeiro seja possível manter os preços de 2014 . “Compramos os carros antes de acabar a redução do IPI, e acho que todos tiveram essa atitude de estocar. Acredito que vai ser bem vantajosa essa ideia de termos estocado”, disse. Na Tecar, um modelo Sandero completo, que antes da redução de IPI tinha o valor de R$ 45,9 mil, ainda é vendido por R$ 42,99 mil.

Keila disse que não percebeu nenhuma corrida às concessionárias, em dezembro, para compras antes da normalização do IPI. Ela aposta que os consumidores deixaram a compra para janeiro porque queriam garantir também a isenção do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). “O brasileiro não quer perder nada, ele quer tanto a isenção do IPI quanto do IPVA, e se ele deixar para comprar em janeiro tem isenção total do IPVA. Acredito que o mês de janeiro vai ser bem melhor [para as vendas] do que dezembro”.

Esse foi o motivo que levou o professor Júlio de Oliveira a esperar os primeiros dias de 2015 para fechar a compra. “Queríamos comprar antes de fechar o ano, mas resolvemos vir no início [de janeiro] porque tem o estoque antigo e tem também a questão do IPVA. Não vamos ter que pagar este imposto, já que o carro é zero”, diz Júlio, que há mais de um ano planejava trocar de carro.

O gerente da Concessionária Ford, João Carlos Batista, diz que o estoque com preços de 2014 deve durar mais cerca de 20 dias, e acredita que a volta dos preços com IPI normal não vai ter grande impacto sobre as vendas. “O movimento foi bom no final de 2014, e deve permanecer assim até o final de janeiro. Depois do retorno dos preços com o IPI normal o mercado vai se adaptando e não acreditamos numa retração de vendas. Essa retração pode ser muito pequena, quase imperceptível, depois volta ao normal. Já passamos por isso outras vezes”, ressaltou.

Com o fim da desoneração fiscal para os carros populares, a alíquota subiu de 3% para 7%. No caso dos carros com motor flex (gasolina e etanol), que recolhiam 9% de IPI, a alíquota aumentou para 11%, e os carros movidos só a gasolina, que pagavam 10%, têm agora alíquota de 13%.

Mesmo percebendo a dificuldade enfrentada pelo setor, o governo manteve a sua política de retornar aos elevados patamares anteriores para cobrança do IPI, o que leva o preço do veículo produzido no Brasil a ser um dos mais altos do mundo.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Com AG. Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *