A gangorra do preço da gasolina

Enquanto a Petrobrás está envolvida em um escândalo que vai sendo mostrado em matérias jornalísticas e maquiado por uma CPI dominada pelo governo no Senado, a população vive a incerteza de um aumento previsto para os combustíveis. Depois de anunciar a autossuficiência e mostrar reservas impressionantes no Pré-Sal, o governo não consegue fazer com que o consumidor interno tenha gasolina ou álcool em preços condizentes com o poder aquisitivo do brasileiro.

O petróleo brasileiro é caro, dizem alguns. O refino no país não é suficiente e precisamos importar o produto, o que acaba refletindo no preço na bomba, dizem outros. Para especialistas a carga tributária que o país impõe é responsável pelo alto preço pago pelo litro nos postos.

Neste mês de Junho de 2014 está sendo possível verificar em alguns estados do país uma redução no preço da gasolina, que ultrapassara os R$ 3,00 por litro. Em Londrina, Norte do Paraná, segunda maior cidade do estado, as pesquisas do Procon deixavam claro que havia combinação de preços entre os empresários do setor. O Ministério Público chegou a entrar em ação e ocorreram prisões há algum tempo, com responsabilização por crime contra a economia e formação de cartel. Para o popular, uma verdadeira quadrilha estará atuando no setor, em prejuízo do consumidor. E o londrinense ia pagando algo em torno de R$ 3,07 pelo litro da gasolina nos primeiros meses de 2014. Repentinamente houve uma redução e era possível encontrar o produto por até R$ 2,87. Essa diminuição no preço do litro da gasolina não teve uma justificativa que atrelasse a uma redução de encargos ou boa vontade governamental. Portanto, a interpretação é que o setor sentiu necessidade de realinhar os preços para continuar vendendo e sobrevivendo neste mercado tão competitivo.

Isso, porém, não é privilégio de Londrina. Em Florianópolis, capital de Santa Catarina, a gasolina também teve uma queda no preço, sendo comercializada em vários postos, nos últimos dias, a R$ 2,59, como mostra a foto que ilustra esta matéria. Difícil é entender o mecanismo que leva a essa oscilação, quando a equipe econômica do governo mantém o discurso de um possível aumento no setor para o segundo semestre de 2014.

Antenor Ribeiro – Destaknews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *